quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Sessão Pipoca: Lucifer

Sinopse: A série se desenvolve ao redor de Lucifer Morningstar, que está entediado e infeliz como o senhor do inferno. Ele renuncia ao trono e abandona seu reinado para tirar férias em Los Angeles, onde dá início a uma casa noturna com a ajuda de sua aliada demoníaca, Mazikeen. Depois que uma celebridade a quem Lucifer ajudou a alcançar a fama é assassinada, ele se envolve com as investigações da polícia de LA, e passa a ajudar a Detetive Chloe Decker a resolver casos de homicídio e encontrar os responsáveis para que possa “puni-los”. 

Título: Lucifer. 
Episódios: 13 (43 minutos cada).
Temporadas: Duas. 
Direção: Tom Kapinos. 
Gênero: Policial, Drama e Mistério. 
Lançamento: 25 de janeiro de 2016. 

Algumas Impressões

Voltei queridos! Sentiram a minha falta? Dei uma sumida aqui do blog por conta da faculdade, e, além disso, estava sem notebook para ver séries.... Mas agora estou de volta a todo vapor, fazendo maratonas incansavelmente! De todo modo, ficarei dividida com o TCC, então talvez eu suma novamente mais para o final do ano – já me desculpem desde já! Haha Mas, vamos falar de coisa boa? Vamos falar sobre “Lucifer”? Se você não está entendendo nada, eu explico: é uma série pela qual fiquei apaixonada desde o trailer que a Netflix postou, informando que iria exibi-la, e mesmo antes de assistir a um episódio sequer. “Lucifer” é uma série de Tom Kapinos e Len Wiseman, e adapta uma trama original das HQs criadas por Neil Gaiman, Sam Kieth e Mike Dringenberg. Ao lado de nosso personagem principal, que dá nome à série, está Maze, sua melhor amiga e um demônio cruel que assume a forma de uma bela mulher. Entediado e infeliz com seu posto de senhor do inferno, Lucifer renuncia ao trono e abandona seu reinado para “tirar férias” em Los Angeles, onde dá início a uma casa noturna. Contudo, depois que uma celebridade a quem ele ajudou a alcançar a fama é brutalmente assassinada, ele acaba se envolvendo com as investigações da polícia, e passa a ajudar Chloe, a detetive do departamento de homicídios que é responsável pelo caso. No elenco, também estão Nicholas Gonzales, como Dan, outro detetive da homicídios que desconfia do interesse de Lucifer em sua esposa e filha; Amenadiel, um anjo enviado à Terra para tentar convencer Lucifer a voltar para o inferno; e Linda, uma terapeuta que, por um acaso, tem o diabo como paciente. Já deu para perceber que esta é uma trama e tanto, né? Em um primeiro momento, sempre que comento da série com alguém geralmente a pessoa age de forma horrorizada por conta da temática. “A série do diabo”, este tipo de coisa. Mas vale lembrar que é apenas uma produção fictícia, e que os fatos apresentados não têm nenhum vínculo com a realidade. Além disso, é uma série policial, repleta de investigação e mistério – e ninguém irá para o inferno por assistir a uma série com esta temática! Como boa série que é, logo me conquistou, e me vi extremamente apegada aos personagens – inclusive, shippando o senhor Morningstar com uma das personagens. 

É claro que existem diversas referências à bíblia no enredo, que também aborda temas como Deus, o inferno, anjos e demônios. Então, a dica para quem se interessou e quer começar a assistir é: mantenha a mente aberta e os pré-conceitos do lado de fora. Confesso que fiquei apaixonada pelo personagem Lucifer (e espero também não ir para o inferno por isso), pois a caracterização foi impecável, e entregou um senhor do inferno engraçado, galanteador, sincero e inteligente (e até com uma pequena dose de ingenuidade e descoberta em relação aos costumes humanos). Além disso, o ator escolhido é maravilhoso (tudo o que o mal é, não é mesmo migos?). Adoro séries de investigação ao estilo CSI, The Killing e semelhantes, e o viés policial é mais do que interessante. Estou contando os dias para que a segunda temporada esteja disponível na Netflix, pois até agora só temos a primeira, e estou bastante curiosa pela continuação – principalmente para continuar shippando meu casal favorito (quem nunca?). Profundo e complexo, o personagem Lucifer ainda conta com diversos poderes, como o de conseguir retirar a verdade sobre qual o maior desejo de cada pessoa apenas olhando-a nos olhos. Mas, como já era de se esperar, a única “imune” aos seus encantos é a detetive “Chloe”, e é aí que o drama de “porque meu poder não funciona com ela?” começa e perdura ao longo da primeira temporada. Seguimos no escuro quanto a essa questão, mas quem sabe não descobrimos nas próximas temporadas! O anjo Amenadiel, enviado por Deus para a Terra para fazer com que Lucifer volte para o seu posto no inferno (onde é o seu lugar), tenta de várias formas convencer seu irmão a governar o reino de baixo e cuidar de todas as almas atormentadas por lá, mas ele está resignado a não colocar mais os pés naquele inferno de lugar (rs). 

A caracterização dos personagens é bem diferente do que costumamos ouvir nas discrições bíblicas ou em outras obras que tratam do assunto (como livros e filmes), e Lucifer ainda está se adaptando com os humanos e seus costumes, fazendo várias perguntas sobre coisas com as quais não está familiarizado. Além disso, ele não está nada acostumado a vivenciar seus sentimentos, e é aí que a terapia entra em cena na figura de Linda, que o atende e auxilia com seus dramas na Terra (e confere uma dose extra de humor à série). Outra coisa interessante e que acaba contribuindo de forma involuntária para o bom humor da trama é o fato de que Lucifer sempre se apresenta às pessoas por seu nome verdadeiro, e não esconde de ninguém que é o diabo em pessoa. Nem preciso dizer que ninguém acredita nele, não é mesmo? Agora, um dos pontos cruciais e que pode causar muitos protestos por parte dos mais “tradicionais” é o fato de que o personagem é retratado como um diabo “do bem”, que está ajudando a polícia a resolver crimes e punir pessoas “ruins” por meio de sua inteligência e seus poderes. É uma forma diferente e um tanto inovadora de desmistificar algo que é representado à exaustão das piores formas possíveis, e isso gera um enredo muito interessante e cativante. Eu provavelmente tenho algum problema, pois sou apaixonada pelo Dexter – que é uma espécie de psicopata do bem -, e agora estou com um crush fortíssimo no Lucifer – que é um demônio “do bem”. Não me julguem, não sei mais o que fazer dessa vida! Haha. No mais, super recomendo a série, tanto para quem curte séries policiais quando para quem adora enredos intrigantes e que deixam o expectador mais curioso a cada novo episódio. Ainda não tive o prazer de ler os livros do personagem ainda, mas, enquanto isso, vou ficando com a série mesmo e torcendo bastante pelo meu shipper! Quem aí já viu a série? Deixa aqui nos comentários o que achou! Ah, e quem ainda não viu, pelo amor de... ops, quer dizer, veja o quanto antes! #QualOSeuMaiorDesejo? 

Este post é de autoria da colaboradora Nathália Santos. Libriana, futura jornalista, apaixonada por fotografia, palavras, filmes, séries, livros e tudo que trás paz pro coração. Ama transmitir coisinhas boas e veio deixar esse universo "unicorniano" ainda mais lindo, brilhoso, colorido e feliz com postagens sobre séries que você precisa assistir!



2 comentários:

  1. Essa série <3
    Esse ator <3<3 MARAVILHOSO...
    EU gostei bastante da primeira temporada, mas a segunda foi mais movimentada..
    Estou super ansiosa pela chegada da 3 <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nem falo mais nada, estou completamente apaixonada e não sei como lidar! <3 <3 <3

      Excluir

Instagram

Pinterest