Fleur de Lune

Clica aí: Os mais Legais do BEDA (#2)

segunda-feira, 29 de agosto de 2016


        O Blog Every Day August está quase chegando ao fim, e por mais que eu não tenha conseguido cumprir todos os dias à risca, como era o planejado – e por motivos diversos –, o saldo não deixa de ser positivo. Nestes vinte e  nove dias até agora eu pude me propor a pesquisar pautas diferentes, produzir mais conteúdo, ler mais livros e artigos e conhecer blogs e pessoas incríveis, que escrevem artigos, resenhas, crônicas e textos diversos (além dos que fotografam maravilhosamente – oi Clayci!), e que também vivem este dia a dia na blogosfera produzindo um conteúdo bacana e de qualidade para os leitores, de forma, acima de tudo, sincera. E assim como nas primeiras duas semanas (clique para ler Os mais legais do BEDA #1), estas duas últimas foram preenchidas com muitas postagens legais, tanto aqui quanto nos blogs que acompanho – seja os que estão participando do desafio também ou não. Preparados? Então vamos seguindo em frente e olhando para o lado (no caso, para os outros blogs lindos dessa internet) para conferir as postagens mais legais dos últimos quinze dias de BEDA! 


No Fleur...

      Por aqui rolou surra de resenhas com “Noturnos” (clique para ler), “Frozen: Mundo de Gelo, Coração de Fogo” (clique para ler) e “A Caçadora de Bruxos” (clique para ler). No dia 15 de agosto foi ar uma postagem completinha sobre a história do game de luta “Street Fighter”, e olha, é grande viu! São tantas edições do jogo que dá até para se perder – e passar um bom tempo jogando (clique para ler). Ontem e no dia 16, foi a vez das tags invadirem o Fleur, pois respondi a “Tag dos 50%” (clique para ler), falando sobre as leituras mais legais do primeiro semestre do ano, e a “Tag; Meus Marcadores” (clique para ler), mostrando um pouquinho da minha coleção. Também rolou postagem sobre Sereismo (clique para ler), um lifestyle mais do que lindo e mágico – e que coleciona adeptas mundo afora -, e indicação de músicas, com uma playlist especial das que mais estou ouvindo no momento. Ou seja, as que não saem da repetição por aqui! (clique para ler).

Olha a Dai "ryca" e poderosa no Trono de Ferro lá na Bienal! (Foto: Colorindo Nuvens).

...E na blogosfera afora.

        Começando com um texto amorzinho da Kelly, do Caligrafando-te, onde ela falou um pouco sobre a arte de sentir exageradamente. Não é segredo nenhum que eu amo os textos dela, e eles frequentemente refletem coisas que estou sentindo ou pensando. Este não foi diferente, pois a identificação rolou do começo ao fim! (clique para ler). Além das fotos divas e maravilhosas, a Clayci, do Sai da Minha Lente, publicou uma resenha ótima sobre o primeiro livro da série "Rangers: Ordem dos Arqueiros". Eu tenho amigos apaixonados pela série e já tive o desejo de começar a ler mais de uma vez, mas são muitos livros e por enquanto não daria conta! (clique para ler a resenha). A Nicas fez um post do que rolou nas últimas semanas de BEDA também e indicou ótimos links, tanto do Apto 401 quanto de outras migas lindas da internet (clique para ler). A Lu, do Floreios, montou uma super playlist cinematográfica cheia de sucessos, e fiquei surpresa ao ver quanto tempo fazia que eu não escutava algumas das músicas que ela indicou! (tô ficando velha, ai ai - clique para ir até a postagem). Ha, falando na Lu, eu acompanho o insta dela também, e os projetos de decoração que ela está fazendo são lindos demais! Ótimas e criativas ideias para quem está montando o home office ou quer dar uma cara nova para o cantinho viu?! (clique para visitar). Eu adoro tags e memes, e a Gab, do Cats Can't Write, respondeu a um incrível, o "7 dicas do contra" (clique para ler). As dicas dela são maravilhosas - e mega engraçadas - e já estou doida para responder também! Claro que tiveram muitas outras postagens maravilhosas, afinal, foram mais duas semanas de BEDA rolando nessa internet de meu Deus, mas para finalizar não posso deixar de falar das postagens sobre a Bienal de São Paulo (queria estar lá e estou só chorando no cantinho a cada tiro - vulgo fotos das amigas lá). E, para representar, olha que postagem mais cheia de amor da Dai, do Colorindo Nuvens! (clique para ler). E é isso! Curtiu? Tem alguma postagem legal para indicar? Comenta aí!


Tag: Meus Marcadores

sábado, 27 de agosto de 2016

Foi difícil segurar essa coleção com apenas uma mão, viu?!

       Quando comecei minha coleção de livros há alguns anos eu não imaginava que ela estaria do jeito que está hoje: linda na estante (que não cabe mais nada), com títulos incríveis e histórias que eu não me canso de indicar, ler e reler. Mas, parando para pensar, uma coisa que não previ foi que, uma vez iniciada esta coleção, outra começaria a crescer em paralelo à ela: a de marcadores. No começo eu não ligava muito, pois, como tenho o costume de ler apenas um livro por vez, acabava a leitura de um para o usar o mesmo marcador no próximo. Contudo, com o tempo o meu interesse foi aumentando, conheci pessoas que colecionavam e quis entrar nessa também - até porque, se você marca o livro com a orelha... me desculpe, mas você é um monstro e a associação protetora dos livros vai te pegar! Passeando por novos blogs encontrei esta tag no Menino Literário (clique para conhecer) e achei que tinha tudo a ver com o momento pelo qual o Fleur está passando, afinal, se você acompanha a nossa fanpage (clique para acessar), já deve saber que finalmente consegui realizar um dos meus sonhos com o blog: ter marcadores personalizados e "unicórnicos" cheios de amor - que eu estou chamando graciosamente de "Fleurmarcadores". E com o BEDA em andamento (por mais que eu tenha ficado uns quatro dias sem postar já - o que é muito triste, mas vida que segue), as tags salvam o dia com frequência, né non?! 


1) O pequeno: um marcador pequeno que faz toda a diferença e 7) O diferente: um marcador que tenha alguma característica peculiar que o torna especial dente os outros.

Já começo a tag trapaceando e bagunçando toda a ordem numérica das perguntas apenas porque eu não responder a ambas falando sobre marcadores diferentes. Tinha que ser esse, e acho que você vai entender porque: recentemente recebi um kit lindo da DarkSide Books (que inclusive, mostrei em vídeo na fanpage. Você viu?), e além do livro maravilhoso também veio no pacote um marcador peculiar de "Confissões do Crematório" (Caitlin Douchty), uma vez que ele tem o formato de uma carta de baralho. Este livro inclusive é minha leitura atual, mas não estou usando o marcador pois ele veio com aquela fita linda característica dos livros da editora (que, vamos combinar, são todos impecáveis, em capa dura e com uma diagramação "derrubadora de forninhos").


2) O impossível: aquele marcador que você deu a vida para conseguir.

Eu ia citar o de "Harry Potter e as Relíquias da Morte" que ganhei na estréia do penúltimo filme, mas não foi assim tão difícil de conseguir já que o pessoal do Potterish estava distribuindo. Então pensei melhor e um dos marcadores mais difíceis de conseguir desde que iniciei a coleção foi o relacionado à Saga do Tigre, especificamente o de "A Viagem do Tigre" (Collen Houck). Eu queria tanto que fazia visitas regulares à livraria para perguntar se eles haviam recebido, e quando chegou foi uma emoção danada (mas a moça só me deixou pegar um, e eu ainda tive que comprar um livro para isso. Triste).


3) O troféu: um marcador que você exibe como troféu e causa certo desconforto entre os colecionadores.

Esse marcador de "Toda Luz que Não Podemos Ver" (Anthony Doerr) é definitivamente o meu troféu dentre os da coleção. Recebi em um kit da Intrínseca, e ele é a coisa mais linda do mundo, feito de madeira talhada. É daqueles que se guarda para a vida, e tenho que confessar que nem uso para marcar minhas leituras com medo de estragar!


4) O desajeitado: um marcador que é ruim pra guardar e usar.

Não que ele seja ruim para guardar, mas o de "Surpreendente" (Maurício Gomyde) é um que não consigo usar, principalmente pelo medo de amassar e estragar quando levo o livro na bolsa ou na mochila. Ele tem um detalhe lindo de olho grego no topo e com recorte, e, por este motivo, tenho medo do olho rasgar ou dobrar, já que ele fica completamente para fora do livro. 


5) O belo: um marcador que chame atenção pela sua beleza.

Este eu ganhei recentemente de uma amiga que foi na Bienal de Minas Gerais (e não me levou, o que eu achei um absurdo). Não conheço o livro, e, para falar a verdade, nunca nem tinha ouvido falar sobre as autoras Barbara Boespflug e Beatrice Billon, mas o marcador de "Nova York para Amantes de Cinema" é muito bonito. Contrastando o cinza  com os tons de laranja e o amarelo dos táxis, a frente é estampada com parte de um típico cenário da cidade de Nova York, e como eu adoro cinema fiquei super interessada na história do livro. 


6) O popular: um marcador que todo mundo tem, que é fácil de achar.

Se é fácil de achar eu não sei, mas já vi várias outras pessoas do Booktube e de blogs literários postando fotos com ele, então acredito que o marcador de "Extraordinário" (R. J. Palacio) seja popular entre os leitores, especialmente porque é uma história marcante e que leva à várias reflexões. Não vou mentir, ainda não li mas amo e vou defendê-lo! (Inclusive, as filmagens da adaptação cinematográfica já estão rolando, você ficou sabendo?). 

8) O nostálgico: um marcador que remeta a alguma lembrança boa.


9) O presenteado: um marcador que lhe foi dado de presente e você guarda com todo o carinho.

São tantos! O mais legal de começar uma coleção é quando seus amigos sabem dessa sua paixão e passam a te dar de presente coisas para aumentá-la. No caso da de marcadores, sempre que um serumaninho lindo que eu conheço tem a oportunidade (vai em feiras, compra um livro novo e etc), eu ganho um novo e maravilhoso marcador para colocar na caneca de Monstros S.A. (que não cabe mais nada também, refletindo o estado da estante). Mas os mais especiais que tenho são os feitos à mão, como os que ganhei da minha melhor amiga e este origami de gatinho que um amigo me deu recentemente. Olha que coisas mais fofas!


10) A coleção: uma coleção completa ou incompleta de marcadores que você custou ou está custando a completar.

Nesse quesito a coleção está incompleta de forma dupla: tanto de livros quanto de marcadores. Eu já comentei por aqui que adoro histórias adaptadas diretamente dos quadrinhos, como "Guerra Civil" e "Guerras Secretas". Além destes dois foram lançados vários outros livros, como "X-Men, Espelho Negro" e "A Morte do Capitão América", e eu preciso deles, dos livros e dos marcadores. Por enquanto tenho dois de "Guerra Civil" e um de "X-Men", e já estou me preparando psicologicamente para a possibilidade de não conseguir encontrar os marcadores de todos os títulos para completar a coleção. Se alguém quiser me enviar eu aceito viu! Haha


11) O repetitivo: um marcador que você tem muitos iguais.

Eu posso escolher o do Fleur? Porque vou te contar, eu tenho muitos! Desde que comecei o blog, há quase três anos, um dos meus pequenos sonhos envolvendo o Fleur era chegar ao dia em que confeccionaria marcadores personalizados para espalhar por aí. E hoje, com eles em mãos, é tão bacana perceber que existem pessoas que realmente acreditam neste projeto e que me apoiam na realização deste e de outros pequenos sonhos, assim como as editoras que enviam suas histórias maravilhosas para cá todos os meses. Histórias que eu adoro ler e compartilhar as minhas opiniões. Ha, e você, que lê o conteúdo que produzo com alegria e dedicação. Obrigada viu gente, os marcadores são só o começo, se Deus quiser! (vai me dizer que eles não são lindos e "unicórnicos"?). 

12) O que não existe: um que você quer muito, mas não tem.

Considerando meus vícios favoritos, tanto os mais antigos quanto os recentes, acredito que os marcadores que eu mais gostaria de ter na coleção são qualquer um das histórias do meu amado J. R. R. Tolkien e um da coleção de "Eu Sou o Número Quatro", porque, pelo amor de Jesus, eu já tenho seis livros da série Os Legados de Lorien e nada de marcador. Ajuda ai produção! Nunca pedi nada (apenas mil coisas diferentes mil vezes por dia). 


13) Tal livro, tal marcador: um marcador que é tão especial quanto o livro, em capa, conteúdo e características.

Como responder a essa questão sem escolher o marcador de "The Kiss of Deception" (Mary E. Pearson)? Tem como? Porque eu acho que não! Se você acompanha o Fleur não é segredo nenhum que ando apaixonada por uma das minhas leituras mais recentes da DarkSide Books, esse romance cheio de Girl Power e mistério e que me deu um tapa na cara com as reviravoltas do enredo. Ou seja, eu amei!

        E aí, curtiu a tag? Saiu nos quarenta e cinco do segundo tempo sem direito à prorrogação ou cobrança de pênaltis, mas a questão é que a minha internet  e eu não nos entendemos muito bem, e quando o computador resolve entrar na briga eu sempre saio perdendo. Ou seja, nada funciona e eu fico horas tentando publicar a postagem. Contudo, nem tudo é bad nessa minha vida, e em breve vai ao ar um sorteio especial de Fleurmarcadores lá na página do blog no Facebook! Assim como as últimas tags que tenho respondido por aqui não vou indicar outros blogs, mas fica novamente o convite, afinal, se você gostou vale super à pena responder e mostrar sua coleção! Quem sabe possamos fazer um sistema de troca de marcadores? Que tal? Conta aí nos comentários!


Dá o play: O que eu estou ouvindo? #3

quinta-feira, 25 de agosto de 2016


         E aí, tudo beleza? Não sei você, mas eu sou aquele tipo de pessoa que não vive sem música, que adora procurar vícios novos nas playlists aleatórias do youtube, mas que também ouve as que já estavam na repetição até os tímpanos sangrarem. Tá, isso foi estranho, mas acho que você entendeu o conceito. É aquela velha história: quando você encontra uma música que magicamente representa seus sentimentos – dos mais felizes, daqueles que dá vontade de sair dançado pela casa, às figurinhas carimbadas nos momentos de bad -, não dá para parar de ouvir e ela simplesmente não saí da sua cabeça! Se você acompanha essa categoria aqui no Fleur deve se lembrar o que eu tive que fazer para me forçar a deixar “Sorry”, do Justin, de lado (e se você não sabe, eu coloquei como o toque do meu despertador). Então, quando você encontra “a” música nada melhor do que compartilhá-la e deixar mais pessoas viciadas também, afinal, sempre é bom ter alguém para cantar junto! (e passar aquela vergonha compartilhada básica né?). Ultimamente, vários amigos têm me indicado ótimas bandas e faixas, artistas que eu gosto têm lançado novos álbuns, eu continuo vasculhando as playlist aleatórias do Youtube e filmes têm chegado às telas com ótimas playlists (mesmo que os filmes em si não sejam assim tão legais). E aí, você já ouviu falar da iniciativa “Suicide-Squad-Soundtrack”? Dá o play!


P.S. Estou fazendo um teste com nosso amado Spotify, então se não rolar de ouvir alguma música dá o grito ali nos comentários hein!

       Ainda não assisti à “Esquadrão Suicida”, mas deu para perceber que estou curtindo muito as músicas escolhidas para o filme né? A verdade é que eu estava muito animada para ver o longa, mas depois da estreia vários amigos foram assistindo e críticas negativas saindo, e confesso que isso deu um duro golpe no meu hype. Claro que eu ainda quero assistir, até porque sempre acabo gostando dos filmes baseados em quadrinhos, mesmo que apenas em certa medida. Mas enfim, assim que eu assistir sai uma resenha por aqui, ou pelo menos uma postagem na página do Fleur! Voltando às músicas, estou ouvindo loucamente “You Don’t Own Me”, da Grace (que por sinal é ótima e eu descobri só por causa desta trilha sonora), que eu particularmente acho que é a música perfeita para a Harley. Além dela, “Gangsta” (Kehlani) e “Purple Lamborghini”, do Skrillex com o Rick Ross, estão na lista de repetição infinita do celular. Esta última conta com a participação do próprio Coringa do Leto no clipe, e eu curti bastante. Essa playlist também está recheada com alguns dos meus amores mais antigos, como “New Americana”, da Halsey, e “Love me Badder”, da Elliphant (que lançou uma música nova esta semana que eu também gostei mas que ainda não superou meu amor por "Love me Badder" e "Too Original") . Há, e tem novas músicas de artistas que eu já gosto, como “Trate You Better”, do Shawn Mendes. A letra é super fofinha, e, sobre ele no clipe, eu só posso falar uma coisa: queria pra mim! Haha! E aí, curtiu? Tem alguma música para indicar? Deixa nos comentários!


2 comentários

Já ouviu falar sobre Sereismo?

quarta-feira, 24 de agosto de 2016


        Aqui vai uma revelação bombástica: eu sou completamente fascinada por criaturas místicas e mágicas, como unicórnios e sereias. Tá, admito que não foi “a” revelação, até porque o símbolo deste blog é um unicórnio e eu ando espalhando essas coisas maravilhosas por aí desenfreadamente, mas a verdade é que sou apaixonada por estes seres desde pequena. Contudo, quando criança não costumava falar sobre as coisas sobre as quais eu gostava pois muitas pessoas julgavam – e ainda julgam – de forma equivocada, e magia está quase no topo desta lista de julgamentos. Recentemente, lendo uma matéria no site da Capricho (clique para ler), que por um acaso brotou na minha timeline do Facebook, descobri o blog Sereismo (clique para conhecer), e comecei a pesquisar sobre o tema pois, assim como muita gente nesse Brasil de meu Deus, eu estava boiando e achando que o sereismo era mais uma tendência da moda, mas, na verdade, é um lifestyle, um estilo que coleciona adeptas bem antes da moda “sea punk” começar. Mas vamos começar falando sobre elas, as sereias. De acordo com as lendas e histórias da mitologia, as sereias são seres aquáticos com a cabeça e o torso humano, entretanto, com uma cauda de peixe no lugar das pernas. As sereias estão muito presentes em diversas culturas, em filmes e até desenhos (quem não se lembra da nossa querida princesa Ariel, da Disney?). Algumas das lendas mais antigas contam que estas criaturas são dotadas de incrível beleza, e que sua voz é capaz de hipnotizar até o mais cético dos homens e levá-lo para o fundo do mar – ou no caso da nossa versão do folclore brasileiro, a Iara, para o fundo do rio.


         Você pode não acreditar (pelo menos à primeira vista), mas muitas sereias nadam por aí nos dias de hoje, e mais perto do que podemos imaginar! Sei que deve estar me achando completamente maluca, e eu compreendo, mas calma que vou explicar! O sereismo começou a virar pauta no verão deste ano através de um estilo da moda que surgiu inspirado no tema - com direito a várias famosas aderindo, tirando fotos com roupas de temáticas marinhas e até mesmo usando belas caudas enquanto mergulhavam em praias e piscinas. Contudo, esse estilo de vida transcende a tendência, e, por sinal, surgiu bem antes dela. Crescendo cada vez mais em popularidade no Brasil – e já bem popular no exterior -, o assunto é discutido através de grupos no Facebook, Fanpages e sites (como o Sereismo), e conquista cada vez mais admiradoras e adeptas (ha, e adeptos também! Não podemos nos esquecer dos tritões). E cada uma tem uma forma diferente de encarar esse lifestyle. Mirella Ferraz, a primeira sereia profissional do Brasil, acredita ser uma sereia desde criança, e, segundo ela, qualquer um pode fazer parte deste mundo, tanto homens quanto mulheres. Conhecida como a “sereia brasileira”, ela conta que o sereismo é um termo usado para designar um estilo de vida, onde as pessoas se sentem bem usando uma cauda de sereia. “Mas, além disso, (é usado) para dar voz a todas as pessoas que se sentem ligadas ao mar, a água, que são fascinadas pelas sereias, que prezam pelo meio ambiente e que querem externar esses sentimentos, seja adquirindo uma causa e nadando com ela, seja apenas usando acessórios da moda ou transformando esse amor em profissão”, explica.

Mirella Ferraz é a única sereia  profissional no Brasil (Fonte: Google Imagens).

         Mirella, que também é escritora, ainda esclarece que muitos dos adeptos do sereismo acreditam, sim, na existência real das sereias, mas que isso não é o que define o termo especificamente. Precursora do movimento no país, ainda aos cinco anos de idade colocava duas pernas em uma só parte das meias-calças da mãe e caía na piscina para nadar. A paixão acabou se tornando profissão, e, desde 2012, é dona de sua própria marca de caudas de sereia, criadas e adaptadas por ela para serem o mais fiel possível (se você não vai aguentar de curiosidade até o final da postagem para saber mais sobre essas coisas maravilhosas, clique aqui para acessar a loja MS-Fins). Feitas com uma matéria prima 100% nacional e exclusiva, as caudas custam em média R$390 o modelo infantil e R$430 o adulto. Além disso, ela se apresenta constantemente em grandes aquários, como o de São Paulo e o do Guarujá (SP), mergulhando em tanques e interagindo com os animais aquáticos e os visitantes. E este trabalho tem lhe rendido ótimas histórias. A sereia conta que, em uma de suas apresentações no tanque do peixe-boi, uma senhora a assistia emocionada, com as mãos coladas no vidro e chorando muito. Preocupada com a possibilidade de que ela estivesse passando mal, a gerente do aquário correu para prestar auxílio, mas a senhorinha apenas se virou para ela e começou a repetir “eu sabia que a veria novamente. É ela, é ela! Eu sabia! Agora, posso morrer em paz”. A acompanhante da idosa explicou que, nascida em uma cidade litorânea, aos sete anos ela contou a todos que tinha visto uma sereia no mar - e passou um bom tempo repetindo a história -, mas ninguém acreditou nela. Ver Mirella no aquário foi uma experiência e tanto para aquela senhora, algo como uma confirmação de suas suspeitas desde a infância.

Camila Gomes é uma das autoras do blog Sereismo (Foto: Sereismo).

         É interessante saber que para ser uma sereia profissional completa e sair por aí mergulhando em tanques e até no mar não basta apenas uma cauda linda e maravilhosa, mas é preciso praticar a apneia, através de um processo de treinamento longo e contínuo que expande a capacidade pulmonar. Para se ter uma ideia de como isso é importante e o quanto as pessoas que têm isso como profissão levam à sério, a Mirella consegue ficar de três a quatro minutos sem respirar embaixo d’água! Mas é claro que não são todas (os) que adotam o sereismo como um lifestyle que treinam a apneia e pretendem se tornar sereias e tritões profissionais. As autoras do blog Sereismo, por exemplo, Bruna Tavares e Camila Gomes, abraçam o “lado sereia da Força” de outras formas. A Bruna é jornalista e youtuber, e foi a criadora da denominação “sereismo”, que acabou definindo o estilo. Já para Camila, não importa como você conheceu o estilo, quando ou de que forma escolheu segui-lo, mas quando o amor é verdadeiro ele permanece. “Eu sou sereia quando compartilho informações sobre o tema, quando divido esse meu amor com o mundo, quando me interesso pelo assunto, leio livros, decoro a minha casa com conchas”, explica Bruna. Eu particularmente achei o máximo! Principalmente porque estava completamente perdida quanto ao que era este “boom sereístico”, mas é preciso entender que o sereismo em si não é uma tendência de moda ou algo passageiro, mas um estilo de vida que qualquer um apaixonado pelo mar e suas criaturas extraordinárias pode seguir, seja com ou sem cauda viu. Ha, hoje saiu uma notícia incrível de que a Rede Globo vai produzir uma novela sobre a história da Mirella (clique aqui para ler)! E claro que eu já quero assistir pra ontem! E aí, já conhecia o sereismo? Conta aí nos comentários!