sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Clube do Livro: Precisamos falar sobre Thrillers

Como leitora, já tive a oportunidade de ler diversas histórias, autores e gêneros – e perceber o quanto meus gostos literários se modificaram ao longo do tempo. Há períodos em que leio mais títulos de fantasia ou ficção científica, ou mesmo “maratono” todos os livros de determinado autor (atualmente, por exemplo, estou fazendo isto com o Paulo Coelho, por conta de um evento sobre o qual falarei em breve). Contudo, desde o ano passado me apeguei a um gênero específico e não consigo mais sair dele, lendo um livro atrás do outro e descobrindo autores incríveis no processo: o Thriller. Não estou exagerando ao dizer (talvez só um pouco) que depois que conheci a maravilhosa Gillian Flynn, com seu “Garota Exemplar”, ou mesmo Josh Malerman, com “Caixa de Pássaros”, minha forma de consumir literatura como um todo mudou drasticamente. Ainda me interesso por outros gêneros, claro, mas os thrillers acabam recebendo prioridade na lista do meu coração e das minhas leituras. Por este motivo, quando a Livraria Leitura me propôs montar um Clube do Livro aqui na cidade, o primeiro tema de discussão não poderia ser outro, e passamos a tarde do dia 05 de agosto (sábado), discutindo sobre o gênero e seus muito subgêneros. Algumas das fotos do encontro ilustram esta postagem, e como realizei uma pesquisa bacana para poder mediar a discussão (e não rolou de gravar nada em vídeo), optei por trazer em forma de texto mesmo tudo o que você precisa saber sobre este gênero maravilhoso e algumas de suas sub temáticas. É só escolher qual ou quais mais te despertam o interesse e embarcar na leitura! 
Para começar, o thriller – ou suspense -, é um gênero que não é exclusivo da literatura, e que também está presente em filmes, jogos e produções para a televisão. Ele usa o suspense, a tensão e a excitação como principais elementos, e seu principal subgênero é o “thriller psicológico”, onde se encaixam obras como “Garota Exemplar”, que citei ali em cima. Um dos muitos pontos interessantes sobre a construção deste gênero é que, depois do assassinato do presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy, as obras de thriller político e paranoico se tornaram muito populares, despertando o interesse da população para este gênero específico. Um grande exemplo são os filmes de Alfred Hitchcock, como “Psicose” (1960) – dono de uma icônica cena no chuveiro -, e “Pacto Sinistro” (1951). Por mais que cada subgênero possua características próprias, algumas das particularidades comuns ao thriller são o ato de esconder informações do leitor / espectador, cenas de perseguição e clímaces criados para prender os leitores ou espectadores, o que na literatura chamamos de plot twist (como uma espécie de virada inesperada na trama). Estes momentos costumam ocorrer geralmente quando o personagem principal é colocado diante de uma situação ameaçadora ou misteriosa, em uma fuga ou em uma missão da qual parece impossível escapar. Comumente são momentos onde a vida deste personagem é ameaçada, e ele é quase sempre inocente ou está envolvido na trama de forma inconsciente. 
Curiosidade: Uma das histórias mais antigas do mundo ocidental, “A Odisseia de Homero” é considerada por alguns estudiosos um protótipo de thriller, pois os enredos deste gênero também são tramas controladas por um vilão, que apresenta obstáculos para que o herói os supere. Ou seja, a boa e velha Jornada do Herói. 

Thriller de Mistério

Também chamado thriller de conspiração, é o subgênero onde os personagens geralmente são jornalistas ou investigadores amadores que, geralmente sem saber, acabam “puxando um fio” e descobrindo uma grande conspiração. Nisso eles a investigam até descobrir o que está por trás desta conspiração e acabam se tornando uma ameaça ou mesmo um alvo para os conspiradores. Este é um modelo básico de narrativa dos thrillers de mistério, e a complexidade de fatos históricos é muito utilizada neste subgênero, onde costuma ser apresentado um jogo de moralidade, ou seja, o vilão faz coisas ruins e os mocinhos seguem um longo caminho tentando derrota-lo – mesmo que o inimigo não esteja exatamente claro. Algumas das características mais marcantes dos thrillers de mistério são pessoas com a vida colocada em risco por conspirações e narrações como em suspenses policiais, que são parte de outro gênero literário. Além disso, um fator comum a várias obras é a frustração dos personagens por não conseguirem provas, já que os vilões cobrem todos os fatos. Uma boa indicação atual é “Piano Vermelho”, o mais novo lançamento do autor Josh Malerman, que traz a história dos Danes, músicos que serviram ao exército e são convocados novamente para descobrir a origem de um misterioso e perigoso som no deserto da África (clique para ler a resenha). 

Thriller criminal

O Thriller criminal é como uma mistura de elementos de filmes e obras sobre crimes e o thriller em si, já que mostra uma sequência de crimes bem-sucedidos ou falhos, onde o protagonista trata de investigar os crimes, tentando descobrir quem são os criminosos e quais os seus motivos. Neste caso, a narrativa geralmente se foca no criminoso, e não no protagonista investigador, como no caso do subgênero anterior. Comumente se enfatiza os aspectos psicológicos dos personagens, e os temas mais comuns são serial killers, assassinatos, assaltos, perseguições e tiroteios. Dois exemplos muito populares de thrillers criminais são “Precisamos falar sobre o Kevin” e “Em um bosque muito escuro” (clique para ler a resenha). 

Thriller psicológico

Neste subgênero os personagens geralmente são dependentes da força física para superar seus inimigos, mas dependem mais ainda de suas capacidades mentais, seja pela inteligência ao lidar com um oponente ou por se manterem em perfeito estado psicológico. Uma das características mais marcantes é que o escritor busca descrever os eventos do ponto de vista dos personagens, sendo os capítulos narrados na maioria das vezes em primeira pessoa. Ou seja, é ele mesmo que conta a história. Esse recurso é usado para envolver mais o leitor, que se identifica com o drama do personagem e passa a entender como funciona sua mente. O thriller psicológico é um dos subgêneros mais populares dos thrillers, e outra característica marcante é o fato de que a narração volta muitas vezes no tempo, onde o personagem conta algo que aconteceu no passado - geralmente para justificar suas motivações ou mostrar como um determinado evento mudou sua percepção sobre alguma coisa. Alguns dos temas mais comuns são: a percepção do personagem do mundo à sua volta, sua tentativa de distinguir o que é real e o que não é, sua mente confusa, busca constante por identidade e também o medo ou fascínio pela morte. Algumas das indicações de thrillers psicológicos são “Garota Exemplar” (clique para ler a resenha), “Lugares Escuros” (clique para ler a resenha), “Eu estou pensando em acabar com tudo” (clique para ler a resenha) e “O adulto” (clique para ler a resenha). 

Thriller tecnológico ou Techno-thriller

O Thriller tecnológico aborda geralmente assuntos ligados a ficção científica, suspense, espionagem, ação e guerra. Incluem uma grande quantidade de detalhes técnicos sobre o assunto tratado, e apenas o gênero de ficção científica em si tem um detalhamento técnico comparável a este gênero. O funcionamento de tecnologias e os mecanismos de diferentes áreas, como espionagem, artes marciais e política, são muito explorados, e, muitas vezes, o enredo gira em torno destas particularidades. É interessante ressaltar que o subgênero de thriller tecnológico acaba se confundindo com a ficção científica em alguns pontos, uma vez que as características que o definem são a ênfase no mundo real ou em tecnologias plausíveis em um futuro próximo. Os autores Michal Crichton e Tom Clancy são considerados os pais do thriller tecnológico moderno, e um dos exemplos mais populares deste subgênero é o filme Ex-Machina. 

Thirller político

Por fim, o Thriller político é um gênero que mostra os bastidores de uma disputa de poder política, e podem envolver cenários políticos nacionais ou internacionais. A corrupção política, o terrorismo e a guerra são temas comuns nesse subgênero, e eles tendem a ser baseados em fatos reais, como o assassinato de John F. Kennedy ou o escândalo de Watergate. Um tema recorrente neste subgênero envolve vítimas inocentes que têm de lidar com adversários insanos, e uma das obras mais famosas deste tipo de trillher é o próprio “Psicose”, também considerado um thriller de horror. 

E é isso! Esta foi a postagem sobre tudo o que você precisa saber sobre o Thriller e seus subgêneros para escolher o seu favorito e começar a ler já obras maravilhosas que fazem parte deste gênero literário. Confie em mim, quando você começar e se apaixonar pelas narrativas que praticamente criam infinitos nós e teorias da conspiração em sua mente, não vai mais conseguir sair! Minha leitura do gênero atual é “Eu sei onde você está” (Claire Kendal), um dos lançamentos do mês da Editora Intrínseca, e a resenha sai em breve por aqui! Ah, e se você é de Governador Valadares (MG), saiba que a segunda edição do Clube do Livro da Livraria Leitura em parceria com o Fleur vai acontecer na livraria do GV Shopping no dia 26 de agosto, a partir das 15h, e falaremos sobre o autor Neil Gaiman! Acompanhe o evento na fanpage do Fleur para mais informações e não deixe de participar! (Clique para acessar). E aí, já leu algum dos títulos que citei nesta postagem? Tem alguma sugestão ou quer indicar um filme, livro, série ou quadrinho? Deixa aqui nos comentários!

2 comentários:

  1. Admito que não sou tão fã de Thrillers, mas ando gostando muito de conhecer histórias que envolvem terror psicológico. Não sei se isso é bom pra saúde mental, mas me agrada muito como leitora. Acho que é um dos únicos que realmente me cativou e fico curiosa quando vejo lançamentos ♥ Queria participar do clube, mas aceito o fato de estar longe auheiauhe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina eu adoro! Estou lendo desesperadamente hahaha Own miga, podemos fazer um clube online, o que você acha? <3 Um beijo!

      Excluir

Instagram

Pinterest