domingo, 18 de setembro de 2016

Resenha: Cidade dos Etéreos


“Também me despedi, em silêncio, de um lugar que me transformara para sempre, de um lugar que, mais do que qualquer cemitério, guardaria para sempre a memória e o mistério de meu avô. Meu avô e aquela ilha estavam completamente interligados, e me perguntei, agora que os dois não existiam mais, se um dia eu entenderia o que tinha acontecido comigo: o que eu havia me tornado; o que estava me tornando. Eu tinha ido à ilha para solucionar o mistério que era meu avô e acabara solucionando meu próprio mistério. Ver Cairnholm desaparecer era como ver a última chave que restava para o mistério afundar sob as ondas escuras. Então a ilha simplesmente sumiu, engolida por uma montanha de neblina. Como se nunca tivesse existido”.

Sinopse: “3 de Setembro de 1940. Dez crianças peculiares libertam um exército letal. E a única pessoa que pode ajudá-los está presa no corpo de uma ave. A viagem extraordinária continua. Depois de conhecer um fascinante mundo novo na misteriosa ilha em que a Srta. Peregrine dirigia um lar para crianças peculiares, Jacob Portman se vê em fuga com seus novos amigos. Juntos, eles descobrem que só têm um caminho a seguir: ir para Londres, a cidade onde os peculiares se concentram, na esperança de encontrar uma cura para a Srta. Peregrine. Nessa cidade devastada pela guerra, surpresas terríveis estão à espreita a cada esquina. Além de levar as outras crianças peculiares a um lugar seguro, Jacob precisa tomar uma decisão importante: permanecer no passado com Emma Bloom, por quem se apaixonou, ou voltar para os pais, nos dias de hoje. Telecinesia e viagens no tempo, ciganos e atrações de circo, malignos seres invisíveis e um desfile de animais inusitados, além de uma inédita coleção de fotografias de época – tudo isso se combina para fazer de Cidade dos Etéreos, uma história de fantasia comovente, uma experiência de leitura única e impactante”. 

Título: O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares: Cidade dos Etéreos (Livro 02).
Autor: Ransom Riggs.
Páginas: 384 páginas.
Editora: Intrínseca.
ISBN: 978-85-8057-890-4.


“Precisávamos da Srta. Peregrine – inteira e curada. Ela saberia exatamente para onde ir e como chegar a salvo. [...] Era nítido que as crianças sofriam por vê-la daquele jeito. A Srta. Peregrine era a mãe, a protetora delas; tinha sido a rainha do pequeno mundo que habitavam naquela ilhota, mas agora não podia falar, não podia parar o tempo, não podia sequer voar. Quando a viram, as crianças pareceram se encolher de dor ligeiramente e então desviavam o olhar. A Srta. Peregrine mantinha o olhar fixo no mar cinza como ardósia. Um olhar duro e negro, que continha um pesar indizível. Parecia dizer: Eu falhei com vocês”.

Algumas Impressões 

       Logo que terminei a leitura de “O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares”, a ansiedade pelo próximo volume precisava ser saciada imediatamente (clique para ler a resenha). Isso porque o desfecho da história criada pelo autor Ransom Riggs, deixa o enredo aberto a diversas possibilidades, criando no leitor a expectativa crescente por saber o que acontecerá às crianças peculiares nos próximos capítulos. O segundo volume da trilogia, “Cidade dos Etéreos”, começa exatamente onde o primeiro parou: em um cenário desolador, com dois barquinhos e um grupo muito peculiar obrigado a deixar a ilha em que viviam, em busca da cura daquela que cuidou deles nos últimos setenta anos, a Srta. Peregrine. Presa na forma de ave por conta de um arremedo dos terríveis acólitos, a ymbryne precisa da ajuda das crianças, que partem em uma arriscada missão na tentativa tanto de salvá-la quanto de salvar a si mesmas. Após ter decidido deixar o presente para trás definitivamente e seguir com as crianças peculiares rumo a uma busca por fendas temporais do passado, Jacob Portman precisa mais do que nunca desenvolver sua habilidade única, garantindo a segurança do grupo espelhando-se no exemplo do avô. Mas logo nos primeiros momentos, a jornada já mostra que não será tranquila, e nossos destemidos peculiares têm que superar as diversas desventuras que os afligem das mais variadas formas, contando apenas com a união de suas habilidades, a força de vontade, um pouco de sorte e o direcionamento precário fornecido pela fonte mais inesperada: um exemplar dos “Contos Peculiares”, famosas histórias para dormir contadas no mundo peculiar a gerações. Seguindo por este caminho, e através da união entre o texto e as curiosas e assustadoras fotografias de época, o leitor descobre a cada página um pouco mais sobre o complexo e intrincado universo peculiar criado por Riggs, à medida que as crianças conhecem mais sobre o mundo do qual fazem parte e, consequentemente, sobre elas mesmas.


“Enquanto eu caminhava até a beira da água, tentei me ver pelos olhos de meus novos amigos – ou pelo menos da forma como eles queriam me enxergar: não como Jacob, o garoto que uma vez quebrou o tornozelo correndo atrás de um carrinho de sorvete ou que, a contragosto, por insistência do pai, tentou entrar para a equipe de atletismo da escola (e fracassou três vezes), e sim como o Jacob inspetor de sombras, intérprete milagroso de sensações ruins no estômago, vidente e matador de monstros reais e verdadeiros, além de tudo o mais que pudesse ameaçar a vida de nosso alegre bando de peculiares. Como eu poderia ficar à altura do legado de meu avô?”.

         Com uma narrativa fluida que se desenrola com acontecimentos bem planejados em sequências de tirar o fôlego, o livro tem a capacidade de envolver atraindo pelos diversos mistérios a serem desvendados, além de trazer à tona de forma mais evidente a complexidade de cada um dos personagens apresentados no primeiro volume, permitindo a descoberta das histórias por trás deles, como chegaram ao lar fornecido pela Srta. Peregrine e as aventuras que viveram nos últimos setenta anos. A construção de Emma, Claire, Millard, Olive, Enoch, Bronwyn e os outros é mais do que um ponto positivo da obra do autor, que, através de facetas da própria personalidade (conforme revelado em uma entrevista exclusiva que ocupa as últimas páginas do título), deu vida às crianças que dão o tom desta épica jornada, com personalidades únicas e, acima de tudo, repletas de peculiaridades. Isso sem falar nos novos personagens que ganham vida nas páginas, como os animais peculiares (com um destaque especial para o cão peculiar Addison e a jumirafa Deirdre). Dividido em duas partes e contando através da voz ativa de Jacob, que narra os fatos sob seu ponto de vista, a trama trás reviravoltas e revelações surpreendentes – como a descoberta de um novo e assustador (mais muito útil) poder por Jacob -, que preparam o terreno para o último volume da série, “Biblioteca de Almas”. Com a primeira parte publicada pela Editora Leya, a série “O Orfanato (ou Lar) da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares” agora está sob o comando da Editora Intrínseca, que trouxe uma edição em capa dura com jacket, cheia de detalhes maravilhosos e conteúdo exclusivo, inclusive o primeiro capítulo de “Biblioteca de Almas”. E para completar a coleção, a editora está lançando este mês uma edição dos “Contos Peculiares”, também em capa dura. E em mês de “Especial Peculiar” aqui no Fleur, não poderia faltar um sorteio, não é mesmo? Em parceria com a Intrínseca estamos sorteando um “Combo Peculiar” com os livros “Cidade dos Etéreos” e “Biblioteca de Almas”. Para participar é necessário curtir a fanpage do blog e marcar três amigos nos comentários da foto oficial (clique aqui), além de clicar em “Quero Participar” no Sorteie.me (clique aqui). Ha, o sorteio vai ser realizado no dia 29 de setembro, juntinho com o lançamento da adaptação para os cinemas da história do primeiro livro, sob a direção de ninguém menos que Tim Burton! E aí, já leu os livros ou tem algum título para indicar? Conta aí nos comentários – e não deixa de participar da promoção! E que as Aves lhe concedam sorte!


Sobre a Intrínseca

Uma editora jovem, não só na idade – afinal foi fundada em dezembro de 2003 – mas no espírito inovador de optar pela publicação de ficção e não ficção priorizando a qualidade, e não a quantidade de lançamentos. Essa é a marca da Intrínseca, cujo catálogo reúne títulos cuidadosamente selecionados, dotados de uma vocação rara: conjugar valor literário e sucesso comercial.

6 comentários:

  1. Há muito tempo não ficava tão empolgada com uma série de livros e isso aconteceu com o orfanato da srta peregrine! Esse segundo livro é muito emocionante, ficamos com o coração na mão em vários momentos, né? Simplesmente incrível a maneira com que o autor conseguiu amarrar bem a história, assim como desenvolveu muitos aspectos dos personagens! Adorei! http://colorindonuvens.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Né? A última vez que fiquei assim recentemente foi com a série Os Legados de Lorien! E sim, como ele é aberto ao desconhecido, ficamos com o coração apertado imaginando o que vai acontecer com as crianças e que rumo a história vai tomar. Complicado kkkk Um beijo <3

      Excluir
  2. Oláa tudo bem? Estava vendo seu blog e amei. Só achei um problema: não consigo achar por nada os botões para ver mais posts anteriores! Não sei se é meu navegador mas sempre vale avisar né? :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Então, eles estavam funcionando perfeitamente, mas aí o blogger fez uma atualização que não sei explicar como sumiu com a paginação :/ Estou há alguns dias tentando resolver, mas obrigada pelo feedback! <3

      Excluir
  3. Eu li toda a trilogia + Contos Peculiares e AMO AMO MUITO!! Inclusive quero reler! Se tornou meu livro favorito depois de Harry Potter de tanto amor. Certeza que você vai AMAR Biblioteca de Almas. E que as Aves lhe concedam uma boa leitura!

    Beijão,
    Quase Mineira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AIIINNN eu tô morrendo aqui, querendo e não querendo terminar o terceiro livro ao mesmo tempo! Não está sendo fácil! E amei demais <3 E sim, a série acaba entrando para os cantinhos mais especiais da estante! Obrigada! Um beijo <3

      Excluir