quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Resenha: Socorro, Meu Vídeo Bombou na Internet!


“Você provavelmente pensa que me conhece... e eu entendo o porquê. O mundo inteiro sabe sobre Mackenzie Wellesley e sua inaptidão social, sua esquisitice. Exceto, talvez, algumas pessoas na Birmânia e no Sudão... mas você entende o que quero dizer. A questão é que, apesar de tudo o que tem sido dito a meu respeito (e não é pouco), somente algumas pessoas de fato compreendem como eu consegui passar de uma aluna entediante a um ícone da cultura pop no intervalo de uma semana. É por isso que estou me dando ao trabalho de explicar”.

Sinopse: “Mackenzie Wellesley passou a vida toda evitando chamar atenção. No colégio Smith High, é o tipo de aluna em que as pessoas só reparam quando precisam de ajuda com o dever de casa. E, na escala de Notáveis a Invisíveis, ela e seus amigos estão com os pés bem firmes na segunda categoria. Até o dia em que Mackenzie manda um jogador do time da escola escada abaixo com um golpe acidental de sua mochila... e faz uma desastrosa (para não dizer indesejada) tentativa de reanimação por massagem cardíaca. Antes do fim do dia, todo o incidente vai parar no YouTube. Quando Mackenzie se dá conta das dimensões do ocorrido, já é tarde demais: o vídeo se tornou uma sensação na rede, com mais de 4 milhões de visualizações e aumentando. Agora, levada por um redemoinho de astros do rock, paparazzi e roupas de grife grátis, Mackenzie precisa descobrir um jeito de conciliar esse caos à sua vida de garota normal. E, quando começa a receber olhares até mesmo do cara mais popular do colégio, ela percebe que essa fama pode ser bem interessante...”.

Título: Socorro, Meu Vídeo Bombou na Internet!
Autor: Marni Bates.
Páginas: 320 páginas.
Editora: Bertrand Brasil.
ISBN: 978-85-286-1686-6.


“Minha mãe me disse que aquilo não era grande coisa. Não sei se ela, de fato, acreditava no que estava dizendo, mas afirmou que as crianças populares só se sentiam intimidadas por minhas capacidades intelectuais e que não era para eu levar para o lado pessoal. Ela havia acabado de me dizer que ninguém acessava o Youtube quando Jane telefonou para me avisar. Não que fosse preciso, porque eu corria o tempo todo lá para baixo a fim de checar quantas outras pessoas haviam assistido. Quando vi o número disparar para quase trinta mil, parei”.

Algumas Impressões 

       Sabe quando você escolhe um livro para ler, mas não cria muitas expectativas a respeito do enredo? E então você inicia a leitura e, ao longo das páginas, tanto os personagens quanto a temática, bem como a escrita do autor (a) acabam te conquistando e, mesmo revestidos de algumas camadas do bom e velho clichê, te surpreendem e passam a ser muito interessantes? Pois bem. Assim que pus os olhos na capa desse livro, várias coisas se passaram pela minha mente: a febre de youtubers que vivemos hoje, os perigos da superexposição na internet, o potencial comunicacional e de interação das novas mídias, e outras questões que esse povo de humanas / miçangas assim como eu gosta de discutir e problematizar. É eu sei, viajei nas reflexões. Mas a questão é que, mesmo sendo voltada principalmente para o público infanto-juvenil, a trama de “Socorro, meu vídeo bombou na internet”, da autora Marni Bates, serve como uma fonte – através de uma história simples, engraçada e que, se fosse adaptada para os cinemas, seria o típico clichê adolescente ao estilo “Sessão da Tarde” – de observação do cenário atual, e a forma como a vida de uma pessoa pode mudar do dia para a noite apenas através do sucesso e repercussão de um vídeo publicado no YouTube, por exemplo. Vivemos isso quase todos os dias, com web celebridades surgindo dentro dos mais diversos nichos. Parando para pensar, o alcance e as possibilidades online são surreais e a experiência vivida pela personagem principal, Mackenzie Wellesley, não é tão impossível assim de se tornar realidade – muito pelo contrário, aliás. Mack (não conte para ela que eu a chamei assim, ela odeia), é uma típica nerd do Ensino Médio da Smith High School, que, assim como todo colegial americano, é divido entre o grupo dos Notáveis e o dos Invisíveis. Nem preciso te contar de qual deles ela faz parte né? Mas isso não é um problema, e, para falar a verdade, é praticamente a solução. Pense em alguém que faz de tudo para não chamar a atenção. Pensou? Bom, tudo ia bem do “lado Invisível da Força” até Mack acidentalmente derrubar um jogador do time da escola escada abaixo com um golpe de mochila, seguido de uma desastrosa tentativa de reanimação – mesmo o garoto não precisando ser reanimado.


Joguei o nome da personagem no YouTube e achei este vídeo feito pela autora. Olha que legal!

“Eu não sabia onde devia encontrá-lo. Ele dissera “depois da aula”, mas isso não significava nada. Quero dizer, será que eu deveria esperar em pé do lado de fora da sala onde ele estava tendo sua aula de literatura até que aparecesse? Não gostei da ideia. Posso ter medo dos holofotes, mas não sou nenhuma Cinderela para ficar esperando pelos outros. Aprendi há muito tempo que, quando dependemos das pessoas, acabamos nos decepcionando. Não que eu acreditasse que todos os caras quisessem dar um amasso na instrutora de balé – não sou tão perturbada assim. Apenas sabia que a única pessoa em quem poderia confiar era eu mesma”.
       
       E se as coisas já não estivessem ruins o bastante com todos os alunos da escola a olhando como uma esquisita de carteirinha, antes mesmo do final do dia o vídeo do episódio já estava no Youtube, sendo assistido mais de 4 milhões de vezes. E, antes que percebesse, a garota passou a ser conhecida por todo o mundo, recebendo encomendas, convites para entrevistas e ingressos para shows, além de ser perseguida por montes de fotógrafos e jornalistas – tudo isso em menos de 24 horas. É, eu sei o que você está pensando. Mas apesar de ser um enredo repleto de clichês, ele se destaca exatamente por ser também original e nada previsível. Quando li a sinopse achei que seria mais do mesmo, mais uma trama ao estilo “Meninas Malvadas”, onde a excluída se torna popular e perde os amigos, se afasta de tudo o que gostava e passa por uns maus bocados até se arrepender e perceber que era feliz com a vida que levava. Mas não é nada disso. Marni Bates definitivamente sabia o que estava fazendo quando escreveu este título, narrado em primeira pessoa pela personagem principal, Mackenzie, que é completamente insegura e desajeitada – além de sarcástica. Ao contrário do que se pode pensar, a escrita não é cansativa, mas sim leve e fluída, com diálogos bem construídos, e uma personagem que se mantém sã sobre as mudanças em sua vida, sem deixar a fama subir à cabeça. Um dos pontos que mais me chamou a atenção (além daquelas reflexões que eu coloquei lá no inicio das considerações) foi o fato de Mack não ter mudado sua personalidade e comportamento - além dos seus princípios -, nem ter deixado os velhos amigos de lado apenas por ter se tornado uma pessoa conhecida. Mesmo com todas as regalias e novidades, como roupas de grife e a oportunidade de conhecer de perto uma de suas bandas favoritas, ela não deixou que isso a roubasse de si mesma, que a mudasse. Para além disso, outros pontos abordados pela autora merecem destaque, como a descoberta de nossa força interior (Girl Power!) e a transposição de limites, uma vez que acreditamos em nós mesmos. Seja você Young ou Adult, não importa: leitura mais do que recomendada!


Sobre o Grupo Editorial Record

Uma empresa 100% nacional: o maior conglomerado editorial da América Latina fala português. Com onze perfis diferenciados — Record, Bertrand Brasil, José Olympio, Civilização Brasileira, Rosa dos Tempos, Nova Era, Difel, BestSeller, Edições BestBolso, Galera e Galerinha — o objetivo é sempre trazer o que há de melhor para o leitor brasileiro.



6 comentários:

  1. Owwn! Adorei o livro, eu sei que é infanto-juvenil e tal, mas eu adoro esses livros de coisas de adolescente. Muito legal os autores tratarem de temas atuais em seus livros. Adorei isso de "o lado invisível da força" kkkk.
    bjinhos

    Uma Geek Descolada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Eu também costumo gostar bastante dessas histórias infanto-juvenil, são divertidas e sempre trazem uma ou duas mensagens no final né? KKKK Um beijo : *

      Excluir
  2. Eu gostei foi da capa, olha eu pensando na fotografia de novo ahauihauihuaiauhauhiuahuahiahuiah

    E não é que estou gostando de ler histórias para o público infanto juvenil? Gente, sério! São tantas mensagens boas <3
    Quero muito ler este agora,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKKK Eu também adorei a capa! Mas o tempo anda corrido e não consegui fazer fotos mais elaboradas (na minha cabeça elas ficaram lindas) Também estou curtindo essas histórias <3 Um beijo! Ha, se ler me diz o que achou!

      Excluir
  3. Fiquei com vontade de ler, parece muito legal! Adoro livros infanto juvenis, gostosinhos de ler...
    Já está na lista :D

    Beijos <3
    http://brunismos.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é bem bacana e a leitura é rápida! A história é simples, mas conquista. Quando ler me diz o que achou! Um beijo : *

      Excluir