quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Resenha (em Dobro): Warcraft e Warcraft: Durotan


“O luar banhava a sala do trono em Ventobravo, fazendo a pedra branca do assento real vazio brilhar, como se tivesse um fulgor próprio, e transformando os leões de ouro agachados na base em feras de prata, com olhos fundos. A luz fria, leitosa, captava os contornos nítidos das armas expostas e transformava as sombras nos cantos, onde seus dedos pálidos não alcançavam, em poços de escuridão infinita. Sob aquela luminosidade sinistra, alguém com muita imaginação poderia ter a impressão de que as armaduras decorativas, montando sentinela, não estavam assim tão vazias, afinal”. 

Sinopse: Há muito tempo Azeroth está em paz. Após expulsar os trolls com a ajuda de Medivh, Guardião do Reino, humanos vivem em paz com os vizinhos elfos e anões. Mas um novo mal desponta no horizonte, e a guerra ameaça engolfar mais uma vez os domínios do justo rei Llane. Uma raça temerária de invasores – os guerreiros orcs -, insuflados pelo feiticeiro Gul’dan e liderados pelo monstruoso Mão Negra, foge de seu mundo agonizante em busca de caça e oportunidades. Com a ajuda da vileza, a mais cruel das magias, Gul’dan criou um portal capaz de transportar sua Horda até Azeroth. A maré verde, de orcs dominados por esse mal, toma de assalto as terras humanas. Morte e destruição ameaçam liquidar tudo e todos. Então, de lados opostos, dois heróis surgem, em uma rota de colisão que decidirá o destino de sua família, seu povo e seu lar. Durotan, o líder honrado do clã Lobo do Gelo, quer apenas uma chance para seu filho recém-nascido; Lothar, o Leão de Azeroth, busca redenção. E assim começa uma espetacular saga sobre poder e sacrifício, na qual a guerra tem muitas facetas e todos lutam por algo. 

Título: Warcraft (Livro do filme oficial). 
Autores: Dirigido por Duncan Jones, História para as telas de Chris Metzen e Romance de Christie Golden.
Páginas: 266 páginas.
Editora: Galera Record.
ISBN: 978-85-01-05202-5.



“Durotan se levantou. Ergueu as mãos, fechou os punhos no ar, arqueando as costas enquanto gritava de júbilo e esperança. Depois de o grito terminar, o novo chefe do clã Lobo do Gelo, com os ouvidos zumbindo e o coração transbordando, virou-se para Drek’Thar. Só quando olhou para a expressão solene do xamã percebeu que, apesar de o terem aprovado, nem tudo ia bem no mundo dos Espíritos”. 

Sinopse: Em Draenor, sob a sombra da Montanha do Grande Pai, entre a Serra do Fogofrio e as terras do sul, o forte, honrado e ferozmente livre clã Lobo do Gelo enfrenta invernos cada vez mais rigorosos... e caça talbuques e fenocerontes cada vez mais escassos. No entanto, um Lobo do Gelo não reclama. Sob a liderança sábia de Garad, filho de Durkosh, que era filho de Rokuk, eles perseveram, honrando os Espíritos da Terra, do Fogo, do Ar, da Água e da Vida. Outros orcs podem sentir prazer na matança... Não os Lobos do Gelo. Quando Gul’dan, um misterioso forasteiro, chega ao inóspito território ao norte, oferecendo uma terra rica em alimentos em troca da submissão do clã à sua Horda de orcs, o chefe declina. A dignidade de seu povo não está à venda. Assim como sua liberdade. Arauto da morte, a partida de Gul’dan traz a reboque a morte de Garad e a ascensão de seu filho: Durotan. Agora cabe ao jovem líder manter seu povo unido em um dos momentos mais críticos de sua história. Contra a fome, o inverno rigoroso, a fúria dos elementos e os Andarilhos vermelhos... Será possível? 

Título: Warcraft: Durotan (Prequel do filme oficial). 
Autores: Dirigido por Duncan Jones, História para as telas de Chris Metzen e Romance de Christie Golden.
Páginas: 224 páginas.
Editora: Galera Record.
ISBN: 978-85-01-05080-9.


Algumas Impressões 

         Vou confessar uma coisa: apesar de gostar muito (mas muito mesmo) de Hearthstone (inclusive, já falei sobre ele em uma postagem! Clique para ler), que tem como personagens os heróis do jogo, nunca joguei World of Warcraft. É, não sei o que estou fazendo com a minha vida. Mas a questão é que meu computador é ruim nível “trava ao abrir um documento no Word se estiver conectado à internet ao mesmo tempo”, então eu não tenho escolhas quanto a isso. Triste realidade. Entretanto, tenho uma amiga que joga e gosta muito, e para mim sempre pareceu um universo muito interessante, amplo, complexo e cheio de possibilidades. Além de ser recheado de boas histórias, não é mesmo? Por isso, assim que vi o trailer do filme e ainda descobri que dois livros seriam lançados – um oficial do filme e um prequel – logo fiquei curiosa para ler (e assistir ao filme, claro!). Como eu era leiga no assunto e não conhecia nenhum dos personagens, minhas expectativas eram grandes quanto à essas leituras, e, se posso adiantar alguma coisa neste primeiro parágrafo de resenha em dobro é que eles superaram todas as minhas expectativas.


          No prequel, “Warcraft: Durotan”, o personagem que dá nome ao enredo é um orc do clã Lobo do Gelo, que vive nos recantos longínquos de Draenor. Os tempos são cada vez mais difíceis e os recursos, mais escassos, e não é tão fácil ser bem sucedido em uma caçada como antigamente. Mesmo em meio às adversidades, o clã, que tem como chefe o pai de Durotan, Garad, segue lutando por sua sobrevivência, até que chega até eles a notícia de que um orc estranho e de uma cor de pele esverdeada deseja falar com o chefe, e que, já não fosse sua aparência diferente, ainda carrega uma escrava. Gul’dan, o tal orc, é um bruxo, e trás uma proposta à Garad: uma nova terra, próspera em vários aspectos e que mudaria a vida do clã do Lobo do Gelo. Entretanto, para que possam fazer parte desta “terra prometida”, um preço deve ser pago: a submissão de todo o clã à Gul’dan. Uma vez que a oferta é recusada, o bruxo vai embora não muito feliz, e, a partir deste dia, as coisas começam a piorar cada vez mais rápido para o clã. Com a morte de seu pai, Durotan se vê diante do desafio de assumir o clã e tomar para si a responsabilidade de salvar seu povo, provendo alimento e segurança. Mas esta tarefa não será nada fácil. Com uma escrita envolvente e uma narrativa intrincada e detalhista, Christie Golden faz com que o passar do tempo se torne quase imperceptível à medida que o leitor “devora” as 224 páginas do romance. Não é rápida ao ponto de confundir o leitor acerca dos acontecimentos narrados, nem lenta ao ponto de tornar a leitura estagnada, mas sim dotada de um timing perfeito, com personagens bem construídos e suas aventuras e desventuras. As adversidades enfrentadas pelos personagens os transformam de muitas formas, e fazem com que eles se desenvolvam a vista do leitor. O Durotan do início do livro não mais existe no final, dando lugar a outro, mais maduro e seguro de seus atos. Uma coisa interessante é que, mesmo sendo selvagens, em certa medida os orcs também se mostram extremamente adoráveis, e a trama permite perceber diversas lições e valores, como lealdade, persistência, superação, fé, família, e, acima de tudo, luta pela sobrevivência e o bem-estar daqueles que amamos. Outro fato que vale a pena ser ressaltado é que não é um livro pensado apenas para os fãs da franquia, mas sim para qualquer pessoa, que conheça muito ou nada sobre o universo de WoW.



         Já em “Warcraft”, acompanhamos a história que se passou também nas telonas, quando Durotan e o clã Lobo do Gelo se juntam à Horda, o grupo de Gul’dan. Mesmo que o chefe do clã ainda desconfie que a magia poderosa de Gul’dan cobre um preço alto, o desespero por um abrigo e a necessidade de comida para seu clã os trouxeram até aqui. Até que o bruxo pede ao chefe da Horda, Mão Negra, que selecione os melhores guerreiros para a arriscada missão de atravessar o portal e dominar o novo mundo: Azeroth, o mundo dos humanos. Desesperados para entender o que são as criaturas verdes e monstruosas que estão entrando em seu território, os humanos capturam Garona, que, apesar de sentir-se cada vez mais próxima de sua liberdade e impelida a ajudar os humanos, sabe que também deve fidelidade à Durotan, que a salvou em batalha. E é ai que dois mundos se encontram. Com o objetivo de combater a ameaça em comum, Gul’dan e a Vileza - sua magia que drena a vida para usá-la como combustível -, o clã Lobo do Gelo se une aos humanos. Assim como no primeiro livro (porque eu recomendo extremamente ler Durotan primeiro), o enredo flui rapidamente, principalmente porque já conhecemos o background por trás da história, como a origem da Horda e boa parte dos personagens principais. Agora, temos a possibilidade de conhecer a Aliança e a forma como estes dois povos colidem, além de entender porque Garona é uma espécie de mestiça (nem tão delicada como os humanos, nem tão “corpulenta” como os orcs). A cada nova página, minha vontade de explorar o jogo aumentava, e as reviravoltas me surpreendiam e encantavam, me mantendo mais e mais focada na leitura. As batalhas foram épicas, com boas e bem construídas cenas de sangue, combate e violência, coisas nas quais os orcs são muito bons, convenhamos. Uma coisa que me incomodou um pouco foi o excesso de mágica - uma vez que no primeiro livro ela é usada e mencionada poucas vezes -, sendo até mesmo bastante desnecessário em alguns momentos. Há, e tiveram as perdas... Mas, o que me conforta é que a autora deixou coisas em aberto, o que aponta para um possível terceiro livro. E lembrando, seja você fã de World of Warcraft ou alguém que ainda não sabe nada sobre a história, estas são leituras mais do que recomendadas se você, assim como eu, não dispensa por nada um bom livro de fantasia.


Sobre o Grupo Editorial Record

Uma empresa 100% nacional: o maior conglomerado editorial da América Latina fala português. Com onze perfis diferenciados — Record, Bertrand Brasil, José Olympio, Civilização Brasileira, Rosa dos Tempos, Nova Era, Difel, BestSeller, Edições BestBolso, Galera e Galerinha — o objetivo é sempre trazer o que há de melhor para o leitor brasileiro.



8 comentários:

  1. Adorei o filme, jogo World of Warcraft e o jogo é simplesmente incrível! Eu ainda não li esses livros, mas estou querendo demais! *-*
    Adorei a resenha!
    Beijos!
    http://labirintodesonhos.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ainda não consegui ver o filme, mas o jogo e os livros são ótimos! Obrigada <3 Quando ler me fala o que achou! Um beijo : *

      Excluir
  2. Miga, não tenho muito carinho por livros desse genero. Mas ainda quero muito ver meu livro
    Boa sorte com o Beda( eu desisti) ahhah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKKK Obrigada. Claro que por mais que eu tenha feito o planejamento os problemas aparecem, mas vamos seguindo! Eu gosto bastante de fantasia, mas não são todos que têm uma construção interessante como esses. Um beijo : *

      Excluir
  3. Lembro que eu passava horas do meu dia jogando..
    Ainda nem assisti o filme hahahahah
    mas, quero ler o prequel <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não assisti ao filme! Mas quero muito! Uma amiga joga muito o jogo, e falava constantemente dele, então eu meio que tenho uma experiência passiva KKKKKKK Um beijo : *

      Excluir
  4. Meu namorado tem todas as versões de Warcraft pra pc e eu não consigo achar graça HSIUHAUISHUAHUISH mas desses livros de jogos que estão saindo, tô muito na vontade de ler os do Halo!
    A Bela, não a Fera | Youtube A Bela, não a Fera | Fã Page no Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho legal, mas também não tenho jeito para jogar KKKKK Demora muito! Os livros de jogos que têm saído são muito bons, estão me surpreendendo! Um beijo : *

      Excluir