quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Já ouviu falar sobre Sereismo?


        Aqui vai uma revelação bombástica: eu sou completamente fascinada por criaturas místicas e mágicas, como unicórnios e sereias. Tá, admito que não foi “a” revelação, até porque o símbolo deste blog é um unicórnio e eu ando espalhando essas coisas maravilhosas por aí desenfreadamente, mas a verdade é que sou apaixonada por estes seres desde pequena. Contudo, quando criança não costumava falar sobre as coisas sobre as quais eu gostava pois muitas pessoas julgavam – e ainda julgam – de forma equivocada, e magia está quase no topo desta lista de julgamentos. Recentemente, lendo uma matéria no site da Capricho (clique para ler), que por um acaso brotou na minha timeline do Facebook, descobri o blog Sereismo (clique para conhecer), e comecei a pesquisar sobre o tema pois, assim como muita gente nesse Brasil de meu Deus, eu estava boiando e achando que o sereismo era mais uma tendência da moda, mas, na verdade, é um lifestyle, um estilo que coleciona adeptas bem antes da moda “sea punk” começar. Mas vamos começar falando sobre elas, as sereias. De acordo com as lendas e histórias da mitologia, as sereias são seres aquáticos com a cabeça e o torso humano, entretanto, com uma cauda de peixe no lugar das pernas. As sereias estão muito presentes em diversas culturas, em filmes e até desenhos (quem não se lembra da nossa querida princesa Ariel, da Disney?). Algumas das lendas mais antigas contam que estas criaturas são dotadas de incrível beleza, e que sua voz é capaz de hipnotizar até o mais cético dos homens e levá-lo para o fundo do mar – ou no caso da nossa versão do folclore brasileiro, a Iara, para o fundo do rio.


         Você pode não acreditar (pelo menos à primeira vista), mas muitas sereias nadam por aí nos dias de hoje, e mais perto do que podemos imaginar! Sei que deve estar me achando completamente maluca, e eu compreendo, mas calma que vou explicar! O sereismo começou a virar pauta no verão deste ano através de um estilo da moda que surgiu inspirado no tema - com direito a várias famosas aderindo, tirando fotos com roupas de temáticas marinhas e até mesmo usando belas caudas enquanto mergulhavam em praias e piscinas. Contudo, esse estilo de vida transcende a tendência, e, por sinal, surgiu bem antes dela. Crescendo cada vez mais em popularidade no Brasil – e já bem popular no exterior -, o assunto é discutido através de grupos no Facebook, Fanpages e sites (como o Sereismo), e conquista cada vez mais admiradoras e adeptas (ha, e adeptos também! Não podemos nos esquecer dos tritões). E cada uma tem uma forma diferente de encarar esse lifestyle. Mirella Ferraz, a primeira sereia profissional do Brasil, acredita ser uma sereia desde criança, e, segundo ela, qualquer um pode fazer parte deste mundo, tanto homens quanto mulheres. Conhecida como a “sereia brasileira”, ela conta que o sereismo é um termo usado para designar um estilo de vida, onde as pessoas se sentem bem usando uma cauda de sereia. “Mas, além disso, (é usado) para dar voz a todas as pessoas que se sentem ligadas ao mar, a água, que são fascinadas pelas sereias, que prezam pelo meio ambiente e que querem externar esses sentimentos, seja adquirindo uma causa e nadando com ela, seja apenas usando acessórios da moda ou transformando esse amor em profissão”, explica.

Mirella Ferraz é a única sereia  profissional no Brasil (Fonte: Google Imagens).

         Mirella, que também é escritora, ainda esclarece que muitos dos adeptos do sereismo acreditam, sim, na existência real das sereias, mas que isso não é o que define o termo especificamente. Precursora do movimento no país, ainda aos cinco anos de idade colocava duas pernas em uma só parte das meias-calças da mãe e caía na piscina para nadar. A paixão acabou se tornando profissão, e, desde 2012, é dona de sua própria marca de caudas de sereia, criadas e adaptadas por ela para serem o mais fiel possível (se você não vai aguentar de curiosidade até o final da postagem para saber mais sobre essas coisas maravilhosas, clique aqui para acessar a loja MS-Fins). Feitas com uma matéria prima 100% nacional e exclusiva, as caudas custam em média R$390 o modelo infantil e R$430 o adulto. Além disso, ela se apresenta constantemente em grandes aquários, como o de São Paulo e o do Guarujá (SP), mergulhando em tanques e interagindo com os animais aquáticos e os visitantes. E este trabalho tem lhe rendido ótimas histórias. A sereia conta que, em uma de suas apresentações no tanque do peixe-boi, uma senhora a assistia emocionada, com as mãos coladas no vidro e chorando muito. Preocupada com a possibilidade de que ela estivesse passando mal, a gerente do aquário correu para prestar auxílio, mas a senhorinha apenas se virou para ela e começou a repetir “eu sabia que a veria novamente. É ela, é ela! Eu sabia! Agora, posso morrer em paz”. A acompanhante da idosa explicou que, nascida em uma cidade litorânea, aos sete anos ela contou a todos que tinha visto uma sereia no mar - e passou um bom tempo repetindo a história -, mas ninguém acreditou nela. Ver Mirella no aquário foi uma experiência e tanto para aquela senhora, algo como uma confirmação de suas suspeitas desde a infância.

Camila Gomes é uma das autoras do blog Sereismo (Foto: Sereismo).

         É interessante saber que para ser uma sereia profissional completa e sair por aí mergulhando em tanques e até no mar não basta apenas uma cauda linda e maravilhosa, mas é preciso praticar a apneia, através de um processo de treinamento longo e contínuo que expande a capacidade pulmonar. Para se ter uma ideia de como isso é importante e o quanto as pessoas que têm isso como profissão levam à sério, a Mirella consegue ficar de três a quatro minutos sem respirar embaixo d’água! Mas é claro que não são todas (os) que adotam o sereismo como um lifestyle que treinam a apneia e pretendem se tornar sereias e tritões profissionais. As autoras do blog Sereismo, por exemplo, Bruna Tavares e Camila Gomes, abraçam o “lado sereia da Força” de outras formas. A Bruna é jornalista e youtuber, e foi a criadora da denominação “sereismo”, que acabou definindo o estilo. Já para Camila, não importa como você conheceu o estilo, quando ou de que forma escolheu segui-lo, mas quando o amor é verdadeiro ele permanece. “Eu sou sereia quando compartilho informações sobre o tema, quando divido esse meu amor com o mundo, quando me interesso pelo assunto, leio livros, decoro a minha casa com conchas”, explica Bruna. Eu particularmente achei o máximo! Principalmente porque estava completamente perdida quanto ao que era este “boom sereístico”, mas é preciso entender que o sereismo em si não é uma tendência de moda ou algo passageiro, mas um estilo de vida que qualquer um apaixonado pelo mar e suas criaturas extraordinárias pode seguir, seja com ou sem cauda viu. Ha, hoje saiu uma notícia incrível de que a Rede Globo vai produzir uma novela sobre a história da Mirella (clique aqui para ler)! E claro que eu já quero assistir pra ontem! E aí, já conhecia o sereismo? Conta aí nos comentários!



8 comentários:

  1. Desde que essa moda pegou, vivo procurando artigos, textos ou até mesmo matérias para entender melhor do assunto e me situar nessa loucura colorida. Acho incrível, sério. É um estilo diferente, mas parece ter aquele quê a mais que conquista as pessoas. Adorei conhecer o blog que indicou e a moça profissional, na verdade, nem sabia que existia isso ♥ Que post maravilhoso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu até já tinha ouvido falar sobre, mas não sabia sobre essa distinção entre o estilo de vida e a moda. Pra mim era mais uma tendência e foi muito legal descobrir que existem profissionais! Amei <3 Muito obrigada!

      Excluir
  2. GENTE!!!!!!! Eu não sabia da existência disso, eu não fazia ideia alguma! Achei muito interessante, pra valer. Agora vou sair caçando coisa de sereismo para tudo quando é lado <3 QUE LINDO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é! Eu já tinha ouvido falar só da moda, da tendência, mas não sabia que era profissão nem nada, ou que há pessoas tão apaixonadas assim <3 AMEI! Um beijoo

      Excluir
  3. Também sempre gostei muito de seres mitológicos.Vivo dizendo que sou um unicórnio porque acho eles lindos e cheios de mágica. Quando pequena eu amava a ariel, até hoje é a minha preferida. Gosto tanto que tenho um caderno dela, dentre todas as princesas. Acho isso de sereia muito louco e lindo desde pequena. Adorei saber mais sobre isso. Beijos.
    Te convido para conhecer meu blog e meu canal, abraços!
    http://tri-vial.blogspot.com/
    https://www.youtube.com/channel/UCCXw3BgIFj0AaSWk4iayXqg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu adoro <3 Ainda não sei se sou um unicórnio, mas meu animal astral com toda certeza é! Hahaha E Ariel é amor! Um beijo <3

      Excluir
  4. Não sou chegada a esse universo apesar de achar lindo os acessórios que estão saindo com o tema *_*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também acho lindo de morrer <3 E depois da pesquisa para essa postagem quero ser sereia também! Hahahaha Um beijo : *

      Excluir