sábado, 27 de junho de 2015

Resenha: O Lado Bom da Vida

 
“Não quero ficar no lugar ruim, em que ninguém acredita no lado bom das coisas, no amor ou em finais felizes, e onde todo mundo me diz que Nikki não vai gostar de meu novo corpo, nem vai querer me ver quando acabar o tempo separados. Mas também tenho medo de que as pessoas de minha antiga vida não sejam tão entusiásticas quanto estou tentando ser agora.”

      Pense no seguinte exercício: tentar ser legal ao invés de ter razão. É este o lema que Pat Peoples, um ex-professor na casa dos trinta anos, que acaba de passar uma temporada em uma instituição psiquiátrica, pretende seguir daqui pra frente. Convencido de que ficou apenas alguns meses por lá, ele não se lembra do que fez para ir parar no "lugar ruim". Só o que sabe é que sua esposa Nikki não quer o fim do "tempo separados", e que seus  antigos amigos - agora com novas famílias - evitam falar sobre o assunto. Viciado em exercícios físicos, e tentando sempre ver o lado bom das coisas, Pat tem uma teoria: para ele, sua vida é como um filme, com roteiro, produção e direção de ninguém menos que o próprio Deus, e que sua missão no enredo é se tornar emocional e fisicamente preparado. O final feliz seria sua reconciliação com a esposa Nikki e o fim do "tempo separados".

     Ele volta a morar com os pais, e vive na tentativa de montar o quebra cabeças que se tornou sua memória. Além disso, seu time está perdendo o campeonato, o que faz com que o pai de Pat fique com um humor ainda pior do que o habitual, e se recuse a falar com ele. No meio deste verdadeiro furacão, ele conhece Tiffany, uma mulher complicada e de gênio difícil, mas que no fundo tem uma história muito parecida com a de Pat. Os dois começam a correr juntos e ficam amigos. Em um acordo com Tiffany, ele topa treinar dança com ela, para que eles participem de uma grande competição, em troca de que ela entregue cartas dele para Nikki, que, por mais que ele tente, ainda não quer vê-lo.

Título: O Lado Bom da Vida.
Autor: Matthew Quick.
Páginas: 256 páginas.
Editora: Intrínseca.
ISBN: 978-85-8057-277-3.

“Enquanto corro, tento pensar em Nikki e no fim do tempo separados, o que sempre faz com que eu me sinta melhor. Finjo que Deus fez uma aposta comigo e que, se eu correr rápido o bastante, ele vai trazer Nikki de volta, então disparo nos últimos três quilômetros de minha corrida. Em minha mente ouço Deus me dizendo que eu tenho que percorrer os últimos dois mil metros em menos de quatro minutos, o que sei que é quase impossível, mas, por Nikki, tento”.

    Mas, afinal, o que aconteceu para que a vida de Pat virasse de cabeça para baixo? Porque Nikki não que o fim do "tempo separados"? Em uma narrativa profunda e divertida, o autor deste romance, Matthew Quick, mostra as coisas sobre uma perspectiva diferente, abordando tanto o amor quanto a depressão de ângulos inusitados e cativantes. Com um enredo sensível, e que prende a atenção do leitor até o último momento, O Lado Bom da Vida é simplesmente sobre um homem que tenta recuperar a memória e lembrar do que aconteceu no passado para entender o presente, além da busca por superar a profunda falta que sente da esposa. É, acima de tudo, uma história sobre um homem que não desiste da felicidade, e que corre em busca do amor e da esperança.


Sobre a Intrínseca

Uma editora jovem, não só na idade – afinal foi fundada em dezembro de 2003 – mas no espírito inovador de optar pela publicação de ficção e não ficção priorizando a qualidade, e não a quantidade de lançamentos. Essa é a marca da Intrínseca, cujo catálogo reúne títulos cuidadosamente selecionados, dotados de uma vocação rara: conjugar valor literário e sucesso comercial.


8 comentários:

  1. Sinto vontade de ler o livro porque achei o filme bem ruim, mas fiquei imaginando toda história em uma narrativa escrita e imagino que deve ser outra experiência! Tá na minha lista de ~must read~ :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é muito bom! A história em si é a do filme, mas a forma como ela é contada no livro é muito mais especial <3 Um beijo!

      Excluir
  2. Adorei sua resenha. Eu comprei esse livro já tem alguns meses, mas ainda não consegui ler. Mas, com certeza vou iniciar a leitura o mais rápido possível! :) Bjus...

    http://doisjeitos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sei como você se sente! Tem uns livros parados na minha estante que comprei e ainda não consegui ler. Leia mesmo! É um ótimo livro <3 Um beijo : *

      Excluir
  3. Este é o meu livro favorito no mundo, sim, é quase impossível escolher apenas um, mas o lado bom da vida é sensacional! Senti raiva ao ler, mas sou completamente apaixonada pelo jeitinho do Pat <3

    blog bright words

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele não é meu favorito no mundo, mas eu gosto muito dele! Eu também fiquei um pouco revoltada, mas depois me identifiquei com o Pat também <3 Um beijo : *

      Excluir
  4. O filme me deixou muito satisfeitos e sua resenha complementou a minha visão da história. Filme muito bom. Bem dirigido, um bom roteiro, divertido, inteligente. Jennifer Lawrence esta digna em seu personagem, ja mostrou que é uma excelente atriz, ja Bradley Cooper me surpreendeu. Filmes globais Cooper são muito bons, "Francotirador" é um de seus filmes mais bem sucedidos, eles recomendam. Voltando à história que nos interessa também gostaram… Atuações ótimas até mesmo dos coadjuvantes Robert De Niro e Jacki Weaver estão ótimos. Uma ótima historia, madura, diferente de todas essas comedias dramáticas/românticas. Vale muito apena acompanhar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, o filme é muito bacana e os atores surpreenderam. O roteiro foi bem adaptado também, mas o livro é mais profundo, claro. Eu gosto muito dos dois <3 Um beijo : *

      Excluir