segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Resenha: Batgirl na Super Hero High

“Finalmente, uma figura misteriosa desceu graciosamente das vigas por um arame fino e aterrissou silenciosamente no palco. Por um momento, ninguém disse nada. Em seguida, todos começaram a falar ao mesmo tempo, tentando descobrir quem era a figura fantasiada. Não era um deles. Quem estava por trás da máscara negra? Batgirl? Ninguém jamais tinha ouvido falar dela”. 

Sinopse: “Batgirl é uma nerd da tecnologia e uma detetive incrível. Apesar de não ter superpoderes, Batgirl é ótima em solucionar problemas e nunca desiste! Quem não está nada contente com a oportunidade de Barbara estudar na prestigiada Super Hero High é o seu pai, o Comissário Gordon – que também é professor da escola. Ele quer proteger a filha dos perigos enfrentados pelas super-heroínas e prefere que a filha se dedique aos estudos ligados à tecnologia. Mas ela não desiste fácil e consegue a permissão do pai para frequentar a Super Hero High junto com a Super Girl, que vira sua melhor amiga e passa a ser chamada de Batgirl. Na escola, Batgirl rapidamente se torna uma das alunas preferidas do Doc Magnus, professor de Robótica e Ciência da Computação. Ele vê o potencial da garota, que, apesar de não ter superpoderes, é supereficiente em tecnologias e lógica, além de inteligentíssima! No entanto, se Batgirl precisa ganhar uma batalha de computadores para salvar a Terra, será que só inteligência e tecnologia serão suficientes?”. 

Título: Batgirl na Super Hero High. .
Autor: Lisa Yee. 
Páginas: 252 páginas.
Editora: Rocco Jovens Leitores.
ISBN: 978-85-7980-371-0.

“De algum modo, Barbara agora sabia que esse era o seu lugar. Tinha certeza disso. Em sua própria escola, com frequência zombavam dela por ser tão inteligente. Claro, havia alguns alunos legais por lá. Mas na Super Hero High ninguém implicava com as habilidades especiais de outro aluno”. 

Algumas Impressões 

Terceiro volume da série DC Super Hero Girls, “Batgirl na Super Hero High” é o tipo de leitura rápida e gostosa que eu adoro, e que, por mais que seja voltada principalmente ao público infanto-juvenil, alcança as mais diversas faixas etárias. A trama nos apresenta a trajetória de Barbara Gordon (Batgirl) na famosa escola de heróis, e revela o desenrolar dos fatos após o desfecho do livro anterior, “Supergirl na Super Hero High” (clique para ler a resenha), quando a ajuda da nossa querida perita em tecnologia foi fundamental para que os alunos conseguissem derrotar uma perigosa vilã que ameaçava dominar a Terra. Por conta de sua coragem e inteligência, Barbara foi convidada a se juntar ao corpo de alunos da SHH, mas realizar este sonho não será tão fácil assim. Além de seu pai, o Comissário Gordon, relutar em deixar que a filha estude na escola por não querer que ela corra riscos ou se machuque, a menina ainda tem de lutar com suas inseguranças, afinal, como uma garota “comum” poderia se comparar aos colegas, cheios de diversos superpoderes e habilidades físicas invejáveis?

“Barbara andou até o armário. Seu coração disparou quando pegou o traje preto simples que Katana fizera. Quando o vestiu, pareceu mais alta e sentiu-se mais forte. Olhou-se no espelho, não reconhecendo a garota que a fitava de volta. Quem era aquela? Quanto mais observava, mais evidente era. Finalmente, disse numa voz clara e forte: Barbara Gordon... gostaria de lhe apresentar Batgirl”. 

Assim como nos anteriores da série de heroínas, o livro é dividido em três partes, tem uma ótima diagramação e chama bastante a atenção de seu público-alvo. Gosto especialmente da forma como a autora, Lisa Yee, caracteriza as personagens, trazendo uma perspectiva diferente da que estamos acostumados nas histórias em quadrinhos e valorizando, acima de tudo, a união e o poder da força de vontade das garotas, de algum modo ajudando a empoderar as leitoras mais novas. Muito inteligente, Barbara sempre foi apaixonada por tecnologia (até já prestava serviços para a escola antes de se tornar aluna), e é interessante ver como seu potencial é notado e desenvolvido na Super Hero High, apesar das reservas do pai em relação ao fato dela se tornar uma heroína, Batgirl, e de suas inseguranças. Seu maior desejo é o de mostrar que é capaz, e, com a ajuda de sua melhor amiga, Supergirl, e das demais amigas mais próximas (Wonder Woman incluída), ela enfrenta diversos desafios até o desfecho, do qual tira uma valiosa lição. Já estou ansiosa para o próximo volume, que deve trazer a destemida Katana! No mais, é uma leitura leve e rápida, mais do que recomendada!


Sobre a Editora Rocco
Há mais de três décadas demonstrando sensibilidade para detectar as tendências do mercado, ousadia na difusão de novas ideias e agilidade de produção, a Rocco se orgulha por ser uma editora sólida e independente, capaz de se reinventar a cada dia para atender aos anseios do público brasileiro. Seus selos são: Rocco, Rocco Jovens Leitores, Rocco Digital, Bicicleta Amarela, Fábrica 231, Fantástica Rocco, Anfiteatro e Rocco Pequenos Leitores.



2 comentários:

  1. que máximo!
    deve ser uma delícia acompanhar o desenvolvimento dela no decorrer da história e mostrar como é capaz.
    deu aquela vontadezinha de comprar, mas preciso URGENTE desencalhar muitos livros da estante.
    beijinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito bacana acompanhar as heroínas nessa fase, e é um incentivo incrível para as meninas mais novas! Eu também estou precisando desencalhar livros hahaha Um beijo!

      Excluir