quarta-feira, 25 de outubro de 2017

4 Livros para ler no Mês do Terror

Outubro é considerado o mês do terror por conta da comemoração do Halloween, ou “Dia das Bruxas”, uma celebração popular de culto aos mortos levada pelos irlandeses aos Estados Unidos. Muito comum em países de língua anglo-saxônica, a festa marca a véspera do feriado religioso do Dia de Todos os Santos. E, por mais que no Brasil não tenhamos a cultura de comemorar a data, não poderíamos ficar de fora, né? Por este motivo – e por mais que já estejamos na última semana do mês - separei algumas das minhas últimas leituras mais assustadoras para indicar por aqui! Confira: 

Eu Sei Onde Você Está: “Rafe está em todos os lugares. E Clarissa vai encontrá-lo, mesmo sendo a última coisa que gostaria que acontecesse. Vai encontrá-lo na universidade onde ambos trabalham, na estação de trem, no portão do prédio onde mora. As mensagens do homem lotam a secretária eletrônica de Clarissa, os presentes dele abarrotam sua caixa de correio. Desde a noite traumática que passaram juntos alguns meses antes, ela se vê em uma armadilha da qual não consegue escapar. E Rafe se recusa a aceitar um não como resposta. A única saída de Clarissa para esse pesadelo angustiante são as sete semanas que passará em um tribunal, onde foi escalada para compor um júri popular. A vítima em questão viveu experiências que revelam uma similaridade macabra com a vida da jurada. Conforme o julgamento se desenrola, Clarissa percebe que, para sobreviver às investidas obcecadas de Rafe, será necessário se arriscar. Começa então a reunir evidências da insanidade do perseguidor para usá-las contra ele e relata todo o terror psicológico e físico a que é submetida, o que a obriga a reviver cada momento doloroso que vem tentando desesperadamente esquecer”. 

Porque eu recomendo? O livro conta a história de Clarissa, uma mulher que vive atormentada por conta do assédio de Rafe, um homem extremamente obcecado. Trazendo uma reflexão imprescindível para a sociedade atual, este enredo angustiante, realista e também brutal me prendeu até a última página, e me fez chorar em diversos momentos por conta do quanto é assustadora a proximidade com os diversos casos que acompanhamos todos os dias nos jornais. Aqui, a ficção retrata de forma brilhante a realidade, e por mais que o número de thriller na minha estante só cresça, nada poderia me preparar para esta leitura (clique para ler a resenha). 

Em Um Bosque Muito Escuro: “Alguém irá se casar. Alguém será assassinado. Leonora, conhecida por alguns como Lee e por outros como Nora, é uma reclusa escritora de romances policiais que não sai de seu apartamento a menos que seja absolutamente necessário. Mas quando Clare, uma amiga de escola de quem ela perdera contato há anos, a convida para comemorar sua despedida de solteira em um fim de semana numa estranha casa envidraçada no interior da Inglaterra, ela decide abrir uma exceção. Quarenta e oito horas depois, Lee (ou seria Nora?) desperta em um quarto de hospital com a devastadora certeza de que alguém está morto. Mais do que se perguntar o que aconteceu, ela precisa descobrir o que fez. Para encontrar a resposta, Nora (ou seria Lee?) deve revisitar uma parte de si que ela preferia manter enterrada onde sempre esteve: no passado”. 

Porque eu recomendo? Com suas quase trezentas páginas, a narrativa da autora Ruth Ware me prendeu de tal modo em seu enredo tenso e misterioso que, quando dei por mim, já estava no último capítulo – e isso após apenas dois dias de leitura intensa. Um thriller com um misto de suspense, mistério e investigação policial, “Em Um Bosque Muito Escuro” aborda as escolhas que fazemos, tanto no passado quanto no presente, e a forma como elas nos modificam, além de trazer uma discussão intrínseca acerca do quanto as aparências podem enganar – mesmo os olhares mais atentos (clique para ler a resenha). 

Por Trás de Seus Olhos: “Não confie neste livro. Não confie nestas pessoas. Não confie em você. Louise é mãe solteira, trabalha como secretária e está presa à rotina da vida moderna: ir para o escritório, cuidar da casa, do filho e tentar descansar no tempo livre. Em uma rara saída à noite, ela conhece um homem no bar e se deixa envolver. Embora ele se vá logo depois de um beijo, Louise fica muito animada por ter encontrado alguém. Ela só não esperava que seu novo e casadíssimo chefe seria o homem do bar. Apesar de ele fazer questão de logo esclarecer que o beijo foi um equívoco, em pouco tempo os dois passam a ter um caso. Em uma terrível sequência de erros, Louise acaba ficando amiga da esposa do amante. E, se você acha que sabe para onde esta história vai, pense de novo, porque Por Trás de Seus Olhos não se parece com nenhum livro que já tenha passado por suas mãos. À medida que é arrastada para a história do casal, Louise acaba com mais perguntas que respostas e a única coisa certa é que algo naquele casamento está muito, muito errado”. 

Porque eu recomendo? Último livro que resenhei por aqui, “Por Trás de Seus Olhos” é diferente de qualquer narrativa que já tive o prazer de fazer a leitura. Poucas são as tramas que conseguem verdadeiramente me surpreender e questionar como aquele enredo foi construído, mas é impossível ignorar esta história complexa e intrincada criada pela autora Sara Pinborough. Mais uma vez, afirmo que a divulgação não mente: neste livro, nada nem ninguém é confiável, e você com certeza nunca viu uma narrativa como essa (clique para ler a resenha). 

Eu Estou Pensando em Acabar com Tudo: “No romance de estreia do canadense Iain Reid, Jake conduz o carro em que ele e a namorada, que narra a história, vão à fazendo dos pais do rapaz. Durante a longa viagem por estradas desertas e escuras, a garota, atormentada com a perseguição de um homem misterioso que deixa sempre a mesma mensagem de voz em seu telefone, pensa em encerrar o relacionamento com Jake. Mas talvez seja tarde demais. Reid, que tem dois livros de não ficção elogiados pela crítica e contribui para veículos de prestígio como a revista New Yorker, une, numa narrativa profundamente psicológica, tanto referências de terror clássico quanto elementos de suspense menos tradicionais, sustentando a trama para além das limitações inerentes do gênero. Um thriller denso que esconde, em meio ao medo provocado pela sensação de uma tragédia iminente, alegorias sobre a própria vida ser uma tragédia anunciada”. 

Porque eu recomendo? Lançado ainda no início do ano, em fevereiro, este livro do autor Iain Reid não pode ser definido de outra forma senão extremamente perturbador. Com uma aura marcante de mistério, suspense e perigo, a narrativa envolve e engana, em uma leitura fluida de pouco mais de duzentas páginas. É uma daquelas tramas que, por mais que você acredite que sabe do que se trata o plot twist, sempre terá uma informação para acrescentar, uma memória, uma descoberta ou mesmo uma conversa que muda tudo (clique para ler a resenha). 

Já comentei por aqui outras vezes que tenho lido muitos livros dos gêneros de thriller, ficção científica e suspense, e, particularmente, adoro este tipo de narrativa. Inclusive, recentemente recebi alguns títulos ótimos destes gêneros do Grupo Editorial Record, e farei uma postagem falando exclusivamente sobre eles e indicando a leitura. Se você, assim como eu, também gosta bastante das tramas mais assustadoras, também indico: “Lugares Escuros” (clique para ler a resenha), “Garota Exemplar” (clique para ler a resenha), “Piano Vermelho” (clique para ler a resenha), “Quem Era Ela” (clique para ler a resenha), “Anna Vestida de Sangue” (clique para ler a resenha) e “Caixa de Pássaros” (clique para ler a resenha)! E é isso! Curtiu as indicações? Ah, e se você quer fazer alguma sugestão ou tem um livro, filme, série ou quadrinho para indicar? Deixa aqui nos comentários!

Nenhum comentário:

Postar um comentário