quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Resenha: 12 Doutores, 12 Histórias

Temporadores, pensou o Doutor. É quase engraçado. Engraçado porque um Senhor do Tempo conhecido como Decorador de Interiores ficou famoso por ter sugerido esse mesmo título em uma reunião e acabou carregando o apelido de Temporador Destemperado para o resto de seus dias quânticos”.

Sinopse: “12 doutores, 12 histórias, 1 senhor do tempo. Os mais consagrados escritores que vivem em nossa galáxia nos dias de hoje criam, cada um, sua própria e única aventura sobre o carismático viajante do tempo”. 

Título: Doctor Who: 12 Doutores, 12 Histórias. 
Autores: Holly Black, Neil Gaiman, Derek Landy, Charlie Higson, Alex Scarrow, Malorie Blackman, Richelle Mead, Patrick Ness, Philip Reeve, Marcus Sedgwick, Michael Scott e Eoin Colfer. 
Páginas: 450 páginas.
Editora: Fantástica Rocco. 
ISBN: 978-85-68263-04-4.

“Agora estamos velhos. Nossa idade não é contada em séculos, milênios, ou mesmo em éons. Vimos o surgimento e o colapso de sistemas solares. Observamos galáxias girarem e rodarem, e assistimos ao universo inteiro morrer uma vez, apenas para renascer instantaneamente em música e luz. Antes do Doutor, antes do Mestre, antes de Gallifrey e dos Senhores do Tempo, nossa raça controlava o universo. Acabou agora. Todos se foram. Restaram poucos de nós”. 

Algumas Impressões 


A série “Doctor Who” é uma produção britânica de ficção científica da rede BBC, transmitida desde 1963 em mais de 60 países. Na trama, são retratadas as aventuras do Doutor, um alienígena de aparência humana do planeta Gallifrey que, por ser um Senhor do Tempo, explora o universo em sua máquina do tempo, uma nave conhecida como TARDIS (Time And Relative Dimension (s) In Space, algo como “tempo e dimensão relativo (s) no espaço”) - cuja aparência exterior é como a de uma cabine da polícia londrina, comum nos anos 60. Contando com o apoio de seus companheiros, O Doutor enfrenta diversos inimigos enquanto trabalha para manter as civilizações a salvo, ajudar pessoas comuns e, eventualmente, corrigir erros no espaço-tempo. E, para celebrar os 50 anos da produção, completados em 2013, doze dos autores mais renomados da literatura fantástica atual se reuniram para homenagear o personagem através de 12 histórias inéditas, compiladas na coletânea “Doctor Who: 12 Doutores, 12 Histórias”, publicada no Brasil pelo selo Fantástica Rocco. E o número de contos não foi escolhido ao acaso: em 51 anos de exibição na televisão, o Doutor foi interpretado por 12 atores diferentes, cada um deles representando uma fase do personagem, com personalidades, idades e trejeitos distintos. Suas muitas faces e jornadas ofereceram aos criadores da série, ao longo dos anos, a possibilidade de explorar galáxias, as profundezas do tempo e a complexidade dos seres humanos, abordando, em uma série de ficção, temas atuais e relevantes - e de uma forma muito realista. E em um claro resgate destas particularidades, autores como Holly Black, Neil Gaiman, Patrick Ness e Eoin Colfer, que também foram conquistados pelas peripécias do Doutor, compartilham com os leitores – sejam fãs da série ou apenas curiosos -, suas perspectivas particulares do personagem mais cativante de uma das séries de ficção mais antigas da televisão.

“Os Senhores do Tempo construíram uma Prisão. Eles a ergueram em uma época e lugar além do alcance da imaginação de qualquer criatura que nunca tenha saído do sistema solar no qual foi gerada, ou que só tenha viajado no tempo de segundo em segundo, sempre em direção ao futuro. Ela foi construída especialmente para o Kin. Era impenetrável: um complexo de pequenos cômodos (afinal, eles não eram seres desnaturados, os Senhores do Tempo – sabiam ser piedosos quando lhes convinha) fora de sincronismo com o restante do Universo”. 

Por mais que eu não tenha assistido à série clássica de “Doctor Who”, sempre fui uma grande admiradora. Desde pequena as narrativas do gênero me conquistam, à exemplo de “O Guia do Mochileiro das Galáxias”, e as aventuras do Doutor sempre me chamavam a atenção, mesmo que eu ainda não tivesse tido a oportunidade de embarcar nas histórias. Por este motivo, quando vi que o título estava disponível na News da Editora Rocco, não pensei duas vezes e logo o solicitei! Os contos levam em consideração todas as existências do Doutor até o ano de lançamento da coletânea, e, por se tratar de uma obra que traz diferentes pontos de vista, é possível perceber que cada uma das histórias leva em consideração as particularidades de cada Doutor, o que permite ao leitor conhecer o personagem de diferentes ângulos, e até mesmo de maneira mais profunda. Ao ler este livro, me senti como em uma maratona, que, através de histórias curtas e um ritmo constante, não deixa que você perceba o tempo passar até que a leitura esteja finalizada. Por mais que os 12 contos sejam muito bons, gostei particularmente de dois: “Hora Nenhuma”, do mestre Neil Gaiman, e “O Mistério da Cabana Abandonada”, de Derek Landy. Inclusive, seria incrível se estas duas histórias fossem adaptadas para a televisão! Sobre a edição, está absolutamente impecável, e é uma das mais bonitas da minha estante. Com uma brochura incomum (um pouco mais grossa que a normal) e com a cor e o design minimalista característicos da TARDIS, a capa ainda tem alto relevo, e traz os nomes de todos os 12 autores presentes na obra dentro de uma elegante silhueta da nave do Doutor. Leitura mais do que recomendada para qualquer fã de “Doctor Who”, mas também para quem nunca teve a oportunidade (ou a coragem) de assistir a série, e que, assim como eu, ficará morrendo de vontade de maratonar assim que concluir a última página!

Sobre a Editora Rocco
Há mais de três décadas demonstrando sensibilidade para detectar as tendências do mercado, ousadia na difusão de novas ideias e agilidade de produção, a Rocco se orgulha por ser uma editora sólida e independente, capaz de se reinventar a cada dia para atender aos anseios do público brasileiro. Seus selos são: Rocco, Rocco Jovens Leitores, Rocco Digital, Bicicleta Amarela, Fábrica 231, Fantástica Rocco, Anfiteatro e Rocco Pequenos Leitores.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram

Pinterest