quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Resenha: Criaturas Estranhas


“Eu gostava de animais de verdade. Mas gostava mais dos animais que existiam de uma forma mais sombria do que dos que pulavam ou deslizavam ou cavalgavam na vida real, porque eles eram impossíveis, porque poderiam existir ou não, porque só de pensar neles o mundo já se tornava um lugar mais mágico. Eu amava meus monstros. “Onde há um monstro”, disse o sábio poeta americano Ogden Nash, “há um milagre”. Eu tinha vontade de visitar um Museu de História Sobrenatural, mas ficava feliz por ele não existir”.

Sinopse: “Um grifo. Um lobisomem. Um pássaro do sol... Essas são apenas algumas das criaturas fantásticas que habitam estas páginas. Desde o cacatucano, cuja risada reorganiza um reino inteiro, até a Fera sem forma que vaga a esmo pela floresta, aqui você encontra uma coleção de espécies raras e magníficas. Cada uma delas vai emocioná-lo, encantá-lo e, possivelmente, assustá-lo. Selecionadas pelo autor best-seller Neil Gaiman, as dezesseis histórias desta coletânea vão guiar o leitor por um inusitado zoológico repleto de criaturas estranhas e maravilhosas que não podem ser encontradas em lugar algum, a não ser em sua própria imaginação”. 

Título: Criaturas Estranhas.
Autor: Neil Gaiman.
Páginas: 400 páginas.
Editora: Fantástica Rocco.
ISBN: 978-85-68263-44-0.

 
 

“Acima da grande porta de uma igreja muito, muito velha, situada em um povoado silencioso em uma terra muito distante, havia a figura de um grande grifo esculpida em pedra. O escultor daquela época realizou um trabalho cuidadoso, mas a imagem que criou não era agradável aos olhos. [...] Em um lugar muito, muito distante da cidade, no meio de um território selvagem e apavorante quase desconhecido pelos homens, vivia o Grifo cuja imagem foi esculpida acima da porta da igreja. De algum jeito, o antigo escultor o viu, e, depois, tentando ser o mais fiel possível à lembrança, registrou sua imagem em pedra”. 

Algumas Impressões 

        Antes de tecer qualquer comentário sobre este livro, tenho que dizer uma coisa: se tem Neil Gaiman, me chama que eu vou (alô, alô, alô!). Agora, por outro lado, minha relação com livros de contos é complicada, pois se eu adoro a possibilidade de várias histórias diferentes - e na maioria dos casos, de autores diferentes -, eu fatidicamente não gosto de algumas, e, principalmente, do fato de serem tão curtas, pois me envolvo muito com as narrativas, e como elas acabam rápido fico com múltiplas depressões pós livro em apenas um. Minha última leitura de contos foi “Noturnos”, pela parceria com o Grupo Editorial Record (clique para ler a resenha), e este sentimento conflitante ficou bem evidente, pois, ao mesmo tempo em que adorei o primeiro conto, não gostei de forma alguma de outros e fiquei com aquela sensação de que muitos seriam (ainda) melhores com mais capítulos. Já com “Criaturas Estranhas”, uma coletânea de contos selecionados pelo mestre Neil Gaiman, e que recebi em parceria com a Editora Rocco, me surpreendi ao notar que todos eles me conquistaram, prendendo minha atenção até a última palavra, e que muitos me deixaram ávida por continuações. Outro ponto interessante deste título foi o fato de que, através dele, pude conhecer autores dos quais nunca tinha ouvido falar, com estilos de escrita e ritmo totalmente diferentes, e que gostei tanto que logo comecei a procurar outras histórias para ler também. Fora o fato de que o timing da leitura foi perfeito para o finalzinho de outubro, pois ajudou a compor o clima de Halloween que o mês carrega, através da apresentação de criaturas fantásticas, fascinantes, curiosas, assustadoras, e claro, estranhas – e isso não inclui apenas seres mitológicos, sobrenaturais ou alienígenas, mas o próprio ser humano. 

 
 

“Aos doze anos de idade, Ozioma passava dias sem falar. As pessoas mantinham distância dela, até mesmo os parentes. Todos temiam o que poderia acontecer caso a irritassem. Chamavam-na de bruxa, de criança feiticeira, títulos temidos e desrespeitosamente respeitados no pequeno vilarejo de Agwotown. É claro, só a chamavam por esses nomes feios mas poderosos pelas costas, nunca na sua frente. A maior parte das pessoas não ousava olhar nos olhos castanho-escuros dela. Isso tudo graças ao que Ozioma era capaz de fazer”.

       Autor best-seller do New York Times, Gaiman sabe como ninguém contar uma boa história, e neste livro provou que, além de ótimo escritor, é um leitor com um gosto apurado e muito bem-sucedido em indicar boas narrativas. A seleção é simplesmente impecável, com autores e contos excelentes, originais e extremamente impactantes, como “Pássaro do Sol”, do próprio Neil Gaiman (não poderia faltar algo dele, não é mesmo?), e “O Mal Também se Levanta”, de Maria Dahvana Headley, autora de “Magônia” (clique para ler a resenha) e co-organizadora deste livro, que foram oficialmente meus contos favoritos por terem sido os que mais me surpreenderam. Logo de cara, o livro nos apresenta um conto intitulado por uma ilustração, uma vez que seu nome não pode ser traduzido em palavras, o que já desperta a curiosidade ainda no primeiro conto. Nas páginas que se seguem, autores como E. Lily Yu, Frank R. Stockton, Nnedi Okorafor, Diana Wynne Jones e Saki (além de vários outros), nos brindam com seus enredos instigantes, mágicos, sombrios, reflexivos e desafiadores, trazendo à tona as mais variadas e inimagináveis criaturas, em contextos ainda mais interessantes. Mesmo não-linear - por se tratar de uma coletânea de contos -, a narrativa se mantém constante, sem os altos e baixos costumeiros, apresentando histórias que se completam em suas diferenças e tornam a experiência de leitura algo indiscutivelmente prazeroso, afinal, não há sequer um conto ruim em “Criaturas Estranhas”. Pelo contrário, há os “favoritos”, os “ótimos” e os “muito bons”, em uma escala de satisfação que dispensa até mesmo o “bom” ou “razoável”. Há Neil Gaiman nos encantando mais uma vez, nos enredando pelos caminhos da fantasia, despertando a criatividade e o interesse por adentrar este mundo mágico e repleto de espaços inexplorados que é a leitura. Em uma recomendação enfática, convido você a fazer esta leitura. Mas esteja preparado (a), pois as dezesseis histórias contidas aqui vão guiar você por um inusitado zoológico, com criaturas que habitam aí mesmo, em sua própria imaginação. 



Sobre a Editora Rocco

Há mais de três décadas demonstrando sensibilidade para detectar as tendências do mercado, ousadia na difusão de novas ideias e agilidade de produção, a Rocco se orgulha por ser uma editora sólida e independente, capaz de se reinventar a cada dia para atender aos anseios do público brasileiro. Seus selos são: Rocco, Rocco Jovens Leitores, Rocco Digital, Bicicleta Amarela, Fábrica 231, Fantástica Rocco, Anfiteatro e Rocco Pequenos Leitores.

2 comentários:

  1. Como faz para colocar todas as leituras em dia e incluir esse na lista? ahahahahahah QUERO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Miga se descobrir me conta porque eu não faço ideia! Eu estou aqui cheia de coisas para ler e sempre quero mais KKKK Um beijo :*

      Excluir