sábado, 5 de novembro de 2016

Resenha: As Épicas Aventuras de Lydia Bennet


“Existe uma cena no fim de quase todos os filmes feitos para a tv. Você conhece: o confronto emocional dramático e exagerado acontece, a imagem vai desaparecendo e, antes de os créditos passarem acelerados com um anúncio do próximo programa, você é obrigado a assistir a um minuto de uma jovem supertraumatizada (e sempre é uma mulher), sentada num consultório aconchegante com paredes de madeira e flores secas, com um ph. D. de pernas cruzadas pedindo para ela contar sua história e trabalhar suas questões para poder seguir com a própria vida. Pois é, essa aí. Eu sempre odiei essa cena”. 

Sinopse: “Baseado na premiada série de web The Lizzie Bennet Diaries – uma adaptação moderna e transmídia de Orgulho e Preconceito -, este livro é estrelado por Lydia, a espevitada irmã de Lizzie, conforme ela encara as alegrias e os tropeços no caminho de se tornar adulta na era digital. Antes de Lizzie começar seu popular vlog, Lydia era apenas uma garota normal tramando maneiras de matar aula e criar a identidade falsa perfeita para entrar nas baladas. Talvez ela não tivesse muito foco, mas amava sua família e se divertia para valer. Até que o vlog de Lizzie transformou as irmãs Bennet em sensações da internet, e Lydia adorou virar o centro das atenções, conforme as pessoas assistiam, debatiam, postavam no Twitter, no Tumblr e em blogs sobre a vida dela. Mas então Lydia aprendeu que nem toda atenção é positiva... Depois que seu ex-namorado, George Wickham, aproveitou a fama recém-adquirida de Lydia, traiu sua confiança e destruiu sua reputação, ela não é mais uma garota ingênua e despreocupada. Agora, Lydia terá de batalhar para reconquistar a confiança e o respeito de sua família e encontrar seu lugar no mundo”.

Título: As Épicas Aventuras de Lydia Bennet.
Autoras: Kate Rorick e Rachel Kiley. 
Páginas: 294 páginas.
Editora: Verus Editora.
ISBN: 978-85-7686-464-6.


“Minha irmã é meio famosa. Bom, famosa na internet. Pouco tempo atrás, decidi que ser famosa na internet não conta como ser realmente famosa. Algumas pessoas poderiam discordar de mim, mas essa é minha opinião, e eu vou ficar com ela. Tenho que ficar. Espero que você entenda por quê”. 

Algumas Impressões 

         Se tem uma história que contraria todas as minhas preferências literárias a ficção e fantasia, esta é Orgulho e Preconceito, da minha amada autora Jane Austen. Acontece que não sou muito fã de romances, mas este me conquistou de tal forma logo na primeira vez em que li ao livro e assisti ao filme que se tornou minha história favorita, ocupando o primeiro lugar de um ranking que traz Harry Potter e O Senhor dos Anéis na sequência. Muitos fãs costumam não gostar de adaptações da história original, mas quando se trata do romance de Austen eu acho as versões alternativas extremamente divertidas, principalmente por oferecerem uma visão diferente do romance de época que tanto gosto. Foi assim com “Orgulho e Preconceito e Zumbis” (clique para ler a resenha), e não poderia ser diferente com “As épicas aventuras de Lydia Bennet”, que recebi em parceria com o Grupo Editorial Record. O título é a continuação de “O Diário Secreto de Lizzie Bennet”, uma adaptação moderna da história original, e ambos os livros são baseados na web série disponível no YouTube, “The Lizzie Bennet Diaries”. O primeiro título contou a história de Lizzie e William Darcy (assim como a web série), mas mesmo sem ter lido este não tive muitos problemas em acompanhar o enredo do segundo, que se dedica a contar a história da mais nova das Bennet, Lydia, ou melhor, apresentar aos leitores o que aconteceu com ela logo após o desfecho de “O Diário Secreto de Lizzie Bennet”. Em resumo, com o sucesso acarretado pelo vlog de Lizzie, a família Bennet tornou-se famosa na internet, o que fez com que Lydia, em todo o seu jeito apresentado também na obra original, ficasse cada vez mais ávida por se expor na web. A garota só se importava com as festas as quais iria, com os garotos que beijaria e no que faria para se divertir, até que algo acontece e muda sua percepção – e em consequência, sua vida – para sempre. 


“É o tipo de coisa que prende a gente. Você não pensa demais ao compartilhar sua vida com desconhecidos online, porque não pensa neles como desconhecidos online. Começa com apenas algumas pessoas, depois mais um pouco, mais um pouco e, antes que você perceba, é uma rede gigantesca de fãs dizendo como você é linda e maravilhosa e como eles se interessam pela sua vida, te defendendo quando você briga com sua irmã ou quando as pessoas são más com você. São como amigos. E pessoas não famosas na internet têm amigos online, então é totalmente normal. Só que, quando são muitas pessoas, elas não são suas amigas. Elas não te conhecem, e você não as conhece. São apenas desconhecidos, te observando como se você estivesse num aquário. Só que foi você que se colocou ali, e não pensa em sair, porque nem percebe os muros que te cercam”. 

         Querendo se aproveitar da fama das Bennet, o ex-namorado de Lydia, George Wickham, tentou destruir a reputação da garota oferecendo a um site um vídeo íntimo que ambos haviam gravado. E é claro que isso caiu como uma bomba na jovem Lydia, que agora precisa reconquistar a confiança da família e recuperar seu lugar no mundo enquanto tenta superar o trauma com ajuda de terapia. Longe de ser perfeita tanto quanto qualquer outra pessoa, ela sabe que cometeu muitos erros no passado, mas só o que deseja é uma chance para provar que pode ser adulta, responsável e tomar suas próprias decisões. Um caminho difícil, cheio de altos e baixos, tropeços, erros e muitas reviravoltas, mas extremamente necessário para que possa amadurecer, tornando-se uma pessoa melhor. Este livro é uma oportunidade interessante de descobrir, através da visão irreverente e original das autoras Kate Rorick e Rachel Kiley, como estão nossos casais favoritos de Orgulho e Preconceito (Darcy e Lizzie, Jane e Bingley), mas também de conhecer novos personagens que se tornam determinantes para o desenvolvimento de Lydia, como Milo e Kat, que protagonizam algumas das melhores passagens da trama. Mas é claro que, como uma adaptação que é, determinadas mudanças foram feitas, como por exemplo a diminuição das irmãs Bennet, que no original são cinco, para apenas três (Lizzie, Jane e Lydia), onde Kitty se tornou a gata de estimação de Lydia e Mary uma das primas das meninas. Todas as vezes que faço a leitura da história original não consigo deixar de pintar Lydia como uma personagem desagradável, da qual realmente não gosto, então um dos pontos altos desta adaptação foi me apresentar uma versão agradável da mesma, além de engraçada, divertida e inteligente. Confesso que várias cenas, principalmente no começo, me desagradaram ao se mostrarem repetitivas e cansativas, mas a experiência de leitura geral foi positiva. Com uma diagramação simples e uma fonte que facilita a leitura, acabei me surpreendendo com o desenvolvimento da narrativa, pois, mesmo ainda sendo uma menina um tanto mimada e inconsequente (principalmente no começo), agora Lydia precisa se autoconhecer, e decidir quem afinal quer ser. Assim como Lizzie, Lydia gravou alguns vídeos para o Youtube, e os episódios estão disponíveis com legendas em português. Uma leitura recomendada mesmo se você não conhece a história original (isso é possível?), e para quem já é fã, acredito que, deixando de lado os pré-conceitos, é mais do que possível fazer uma ótima leitura e, quem sabe, mudar de opinião. 



Sobre o Grupo Editorial Record

Uma empresa 100% nacional: o maior conglomerado editorial da América Latina fala português. Com onze perfis diferenciados — Record, Bertrand Brasil, José Olympio, Civilização Brasileira, Rosa dos Tempos, Nova Era, Difel, BestSeller, Edições BestBolso, Galera e Galerinha — o objetivo é sempre trazer o que há de melhor para o leitor brasileiro.

4 comentários:

  1. Acredita que eu achava que era a primeira vez que eu vinha aqui? Mas lembrei que já havia comentado no seu penúltimo bookhaul, com um milhão de livros :p haha
    Bem, eu estou entre as fãs que não costuma gostar de adaptações dos livros que amo, mas eu acho que leria essas adaptações de OEP, pois parecem muito divertidas, sobretudo a da Lydia que, embora importante no original,não chega a ser protagonista, de modo que deve ser bem legal ler algo focado nela. Gostei muito da sua resenha :)

    PS: Seu blog é muito lindo e fofo!! <3 Sobretudo o unicórnio. BTW, estou apaixonada pelo marcador de página de unicórnio! Como faço para ter um? rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha Eu não gostava antigamente, mas depois comecei a ler algumas e fui mudando de opinião. Orgulho e Preconceito e Zumbis foi bem divertido e também gostei desse. Muito obrigada <3 Sobre os marcadores, eu provavelmente vou fazer um sorteio em breve! Um beijo :*

      Excluir
  2. Antes de mais nada: EU TO DESESPERADAMENTE APAIXONADA PELO SEU BLOG, SOCORRO.
    Agora, voltando ao post (rs), eu confesso que esse não é exatamente meu gênero favorito (assim como você, gosto muito de fantasia, aventura com o acréscimo de uma pitada de horror ou terror).
    Apesar de que achei interessante como você disse que a história se desenrola, e eu gosto bastante do clássico que ele é baseado.
    Se surgir a oportunidade, acho que o leria sim! XD

    Beijos.
    www.jadeamorim.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAAAAA OBRIGADAAA <3 Eu adoro o clássico Orgulho e Preconceito, e não costumava gostar tanto desse tipo de adaptação, mas elas foram me conquistando aos poucos e agora sempre que tenho a oportunidade pego uma para ler! Um beijo : *

      Excluir