sábado, 13 de agosto de 2016

Tag: Conhecendo meu Acervo + Minha Biblioteca no Libib


       Olá amigos da internet! Passeando por essa nossa blogosfera de meu Deus, encontrei uma (outra) tag muito bacana, que eu posso até já ter visto em algum lugar, mas não me lembrava onde. Sabe aquelas que um vai indicando o outro e no fim não se sabe de onde ela saiu? Pois então. A “Tag: Conhecendo meu Acervo” é simples, e tem como objetivo responder nove perguntas acerca dos livros que você tem na estante. Eu vi no blog da Paac Rodrigues, o My Little Garden of Ideas (Ainda não conhece? Clique para conhecer!), que por sua vez encontrou no Torpor Niilista (clique para acessar). Ao contrário de outras que já respondi por aqui, essa não pede que outros blogs sejam indicados, mas, como estamos em época de BEDA e uma tag nunca é demais, sintam-se todos convidados a falar um pouquinho sobre seus acervos. Porque gente, por um acaso tem coisa mais legal do que falar sobre livros? 


1. Qual a lombada mais chamativa do seu acervo de livros?

        Antes de responder a esta pergunta, tenho que fazer uma consideração: sempre que respondo tags literárias eu começo dizendo que a escolha dos títulos para cada uma das perguntas foi difícil, e acredite, eu estou dizendo a verdade, nada mais que a verdade, todas as vezes. Veja bem, pelo menos oito lombadas de livros que me vêm à mente agora poderiam ser escolhidas aqui, sejam elas chamativas pela cor, o tamanho ou simplesmente por serem brilhantes (e quando digo brilhantes, quero dizer impossíveis de se olhar por muito tempo à luz). Mas depois de (olha aí) uma escolha difícil, optei por “Marvel Comics: A História Secreta” (Sean Howe), por conta desta cor laranja neon maravilhosa e da diagramação do título, subtítulo e autor em um estilo à La quadrinhos Marvel dos anos 1930 (tem até o preço gente!).


2. Quantos Livros o seu acervo possuí? 

       Atualmente meu acervo possui 203 livros, 48 quadrinhos (entre comuns e encadernados, pois é uma coleção recente) e 110 mangás. O número só vem aumentando, principalmente graças às parcerias com as editoras Intrínseca, Belas Letras e o Grupo Editorial Record, além de recebimentos ocasionais da maravilhosa caveirinha, DarkSide Books. Semana passada também recebi a notícia de que o Fleur foi aprovado na seleção de parceiros da Editora Rocco e não poderia estar mais feliz! Aproveito para agradecer mais uma vez pela confiança! Vocês são incríveis!!


3. Conte os livros em ordem até quinze. Qual é o livro? Fale um pouco sobre ele. 

       Sabe quando você está respondendo a tag e surge uma daquelas dúvidas fundamentais para a reflexão acerca da vida, o universo e tudo o mais? Eis a dúvida: contar de cima para baixo ou de baixo para cima na estante? Pois é amigos, as mínimas questões podem levantar grandes debates... (décimo nono dia de BEDA, postando todos os dias em meio à correria do trabalho e às infinitas leituras... a pessoa fica assim mesmo). Na falta de alguém para resolver esta comigo, optei por contar os livros em ordem de cima para baixo, e o livro indicado foi “Diálogos Impossíveis”, do autor Luis Fernando Veríssimo. Lembro-me que minha tia ganhou este livro de alguém, e que, após realizar a leitura, acabou passando ele para mim. Veríssimo é sempre irreverente e extremamente cativante, seja em seus livros ou em suas colunas nos jornais O Estado de S. Paulo, Zero Hora (que inclusive publicou as crônicas que estão reunidas neste livro) e O Globo.

Sinopse: “Qual um existencialista dotado de senso de humor, Veríssimo persegue em suas crônicas o absurdo que marca a existência humana – salvo engano, a única que se preocupa com o seu propósito, o seu término e se alguém está falando demais na hora do pôquer. Em nenhum momento essa maldição se torna mais evidente do que na hora em que o homem abre a boca. Então, o que era para comunicar acaba é estrumbicando. Pode ser no diálogo imaginário de Don Juan tentando seduzir a própria Morte, pode ser na conversa cotidiana de um casal que se desentende na hora de dormir. Tanto faz. O homem – e, sejamos igualitários, a mulher – parece falar o que não deve e calar no fundamental. Para sorte do leitor, Veríssimo sempre está por perto, registrando os hilariantes momentos em que o ser humano exerce sua vocação para a confusão”.


4. Conte os livros em ordem até vinte. Qual é o livro? Fale um pouco sobre ele. 

      Já que na pergunta anterior contei de cima para baixo, nada mais justo do que fazer o inverso nesta que tem a mesma proposta: contar de baixo para cima. E o livro indicado foi “O Lado Bom da Vida”, do autor Matthew Quick, que conta a história de Pat Peoples, um ex- professor que acaba de sair de um período de internação em uma clínica psiquiátrica. Ele não se lembra do que aconteceu para que acabasse lá, nem mesmo entende porque sua esposa, Nikki, não quer mais falar com ele e prefere que fiquem um “tempo separados”. É uma história que me tirou da zona de conforto e abordou temas complexos de uma forma simples e comovente ao contar a história de um homem que se recusa a desistir da felicidade e do amor e a ter esperança (e já rolou resenha por aqui! Ainda não viu? Clique para ler).

Sinopse: “Tentando recompor o quebra-cabeça de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com o pai se recusando a falar com ele, a esposa negando-se a aceitar a revê-lo e os amigos evitando comentar o que aconteceu antes de sua internação, Pat, agora viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher, porque acredita em finais felizes e no lado bom da vida”.


5. Escolha um livro com a lombada branca e fale um pouco sobre ele.

       Já faz algum tempo desde que li este livro (que inclusive, eu ganhei da minha melhor amiga, Carol – aquela linda), mas ainda não consegui organizar no papel o que eu senti e o que achei, ou como este livro me impactou e me fez refletir acerca de várias coisas. “As Vantagens de Ser Invisível”, do autor Stephen Chbosky, conta a história de Charlie, através de cartas – mais íntimas do que diários, estranhas, únicas e devastadoras - escritas por ele para um leitor desconhecido. O tema principal que o autor trata aqui é pesado, e muito. E nem de longe tão discutido (da forma correta) como deveria. Se você leu o livro sei que sabe do que estou falando. Se ainda não leu, por favor, comece a ler agora mesmo. A questão é que não posso falar sobre o tema principal aqui, pois um dos artifícios da narrativa é ir conduzindo o leitor até o momento onde tudo se encaixa e todo o enredo fica claro diante de seus olhos. A surpresa da descoberta é a maior experiência dessa leitura. A história foi adaptada para os cinemas, tendo Logan Lerman (Percy Jackson), Emma Watson (Hermione) e Ezra Miller (nosso novo Flash) no elenco.

Sinopse: “Manter-se à margem oferece uma única e passiva perspectiva. Mas de uma hora para outra sempre chega o momento de encarar a vida do centro dos holofotes. A luta entre apatia e entusiasmo marca o fim da adolescência de Charlie nessa história divertida e ao mesmo tempo instigante”.


6. Como você costuma organizar os seus livros? 

      Antes eu usava o Skoob e também uma listinha anotada em um dos meus cadernos de organização, mas recentemente (como falei nesta postagem aqui) descobri o Libib, um site e aplicativo para gerenciamento de acervo pessoal. O mais legal é que ele é exatamente a ferramenta que eu estava procurando faz tempo, e me permite cadastrar os livros por meio de leitura de código de barras, o que facilitou – e muito – minha vida. Foram poucos os títulos que tive que cadastrar manualmente. Outra coisa bacana é que é possível compartilhar sua biblioteca, e se você quiser dar uma olhada nos títulos que tenho na estante é só clicar aqui ou na imagem abaixo (ha, eu ainda não terminei de catalogar tudo). Além disso, como ele também é um aplicativo posso consultar e gerenciar meu acervo a qualquer momento, através do celular.


7. Qual foi o último livro que você adquiriu?

       Confesso que desde o início deste ano, quando o Fleur estabeleceu parcerias com mais editoras, eu não tenho comprado muitos títulos. Afinal, a quantidade de livros que chegam aqui na redação do blog (vulgo meu home office) aumentou consideravelmente. Mas, no mês de junho adquiri um que estava querendo faz tempo: “Guerras Secretas”. Eu adoro essas adaptações literárias de histórias em quadrinhos, e, em se tratando de Marvel o amor é maior ainda. Já o último livro que ganhei – sem contar as parcerias maravilhosas - foi “Revival”, do Stephen King (uma amiga incrível e com um amor louco por tubarões e Stephen me deu este de aniversário!). Mas estou namorando o “Tá Todo Mundo Mal”, da Jout Jout, toda vez que passo na porta da livraria, então, possivelmente, até que este post seja publicado eu já terei comprado ele. 


8. Quais os livros mais antigos do seu acervo?

      Fora aqueles que eu ganhei quando era criança, como “A Bolsa Amarela” (Lygia Bojunga) e “Ludy vai à Praia” (Luciana Sandroni e Humberto Guimarães), e que eu adorava e provavelmente já li mil vezes, os livros mais antigos do meu acervo são “Harry Potter e as Relíquias da Morte”, “Harry Potter e o Enigma do Príncipe” e “A Cidade do Sol”, além, é claro, da saga Crepúsculo. Não é segredo nenhum que eu sou extremamente viciada em Harry Potter, mas curiosamente comecei minha coleção pelos últimos livros. A verdade é que li os primeiros emprestados da biblioteca, e apenas quando os dois últimos foram lançados é que minha mãe (finalmente) me presenteou com eles. E é nesse momento que eu me pergunto quando vou completar minha coleção de Harry Potter, porque, com os novos lançamentos, contei pelo menos seis livros de mais de cem reais que gostaria de adquirir (triste realidade). 


9. De quais autores você tem mais livros?

       Os autores dos quais possuo mais livros são Rick Riordan, J. K. Rowling, J. R. R. Tolkien e Pittacus Lore. Mas, de todos eles, Rick Riordan acaba ganhando em número, uma vez que a coleção de histórias que envolve Percy Jackson é gigante (as duas séries mais os livros especiais) e eu tenho os primeiros livros de outras duas. E em pensar que mais dois livros serão lançados da série “As Provações de Apolo” (tem resenha de “O Oráculo Oculto”, já viu? Clique aqui), além dos outros de “Magnus Chase e os Deuses de Asgard” (tem resenha de “A Espada do Verão” também, vem ver!). É assim: sempre que eu penso que estou completando as coleções ele lança mais livros. O que você está fazendo Tio Rick? Um jogo comigo? (Isso sem falar na série de Mitologia Egípcia que eu não tenho nenhum dos quatro livros). 

        A décima proposta desta tag era tirar fotos do acervo, e utilizei as imagens para ilustrar essa postagem. Faz tempo que eu estou tentando fazer isso de uma forma decente, principalmente porque ainda não desisti da ideia de fazer um Bookshelf Tour para o canal. Como já contei em postagens anteriores, minha estante não está mais dando conta da quantidade de livros (Graças a Deus), e estou me planejando para adquirir outra muito em breve. Entretanto, enquanto a nova estante não se materializa bem no meio do meu home office, a minha tem cortado um dobrado para acomodar tanto os filhos antigos quanto os novos que chegam todo mês através dos Correios. Tentei fotografar cada parte para mostrar um pouquinho da organização / divisão que faço, mas, se você quer ver mais alguns detalhes, tem um vídeo super legal que postei na página do Fleur, um “mini bookshelf tour”! (ainda não viu? Clique aqui). E aí, curtiu a tag? Que tal responder também? Ha, me conta se você já leu alguns dos livros dos quais falei!


2 comentários:

  1. Quando crescer quero uma coleção igual a sua <3 E me refiro tanto a de livros, quanto a de decoração...
    Quanta coisa linda!

    ResponderExcluir