domingo, 3 de julho de 2016

Resenha: Dados e Homens


“Mesmo que nunca tenha jogado D&D, você provavelmente já ouviu falar nele, e, quando admiti que era um jogador, seu inconsciente provavelmente me arquivou na pasta “Nerd, Perdido para a Humanidade” – a menos que você seja um de nós. Role-playing games não possuem uma boa reputação. A maioria das pessoas conhece D&D apenas como uma coisa estranha que os meninos do clube de matemática faziam no canto da lanchonete da escola. Ou como o passatempo do menino gótico da rua. Pode ser ainda pior: elas têm uma vaga ideia de que é algo depravado ou satânico – os jogadores de D&D não correm pelas florestas e veneram demônios ou se suicidam quando perdem uma partida? Admitir que você joga Dungeons & Dragons é apenas um pouco menos estigmatizado que confessar crueldade contra animais ou que ainda faz xixi na cama. Não deve ser feito na companhia de qualquer pessoa. Mas sou imune a todo esse desprezo. Eu conheço magia”. 

Sinopse: Jornalista da revista Forbes e jogador nas horas vagas, David M. Ewalt cruzou os Estados Unidos, visitou a antiga sede da TSR, em Lake Geneva, entrevistou os projetistas originais do Dungeons & Dragons, participou de convenções e ressuscitou seu antigo grupo para testar novas e velhas regras. O resultado está reunido neste livro – emocionante para nós, RPGistas, e didático para aqueles que desejam conhecer esse hobby tão criativo. Dados e Homens nos conta a verdadeira origem dos role-playing games, desmistifica certas lendas urbanas, explora a história corporativa do jogo, as batalhas nos tribunais, e, mais do que tudo, analisa o RPG enquanto fenômeno de massa, enquanto movimento sociocultural, explicando como ele influenciou – e como ainda influencia – escritores, desenhistas, pintores, cineastas, quadrinistas e até músicos, em todas as partes do mundo. É hora de iniciar esta grande aventura. Que rolem os dados! (Apresentação por Eduardo Spohr, autor de A Batalha do Apocalipse e da trilogia Filhos do Éden – além de paladino de 18° nível). 

Título: Dados e Homens: A História de Dungeons & Dragons e de seus Jogadores.
Autor: David M. Ewalt.
Páginas: 321 páginas.
Editora: Record.
ISBN: 978-85-01-10747-3.


“Frodo Bolseiro precisou da ajuda de três hobbits, dois homens, um elfo, um anão e um velho e sábio mago para salvar o mundo. Então ninguém espera que um nerd vá jogar sozinho. Original entre os jogos de tabuleiro – e especialmente único entre atividades praticadas por garotos adolescentes -, Dungeons &Dragons é cooperativo, não competitivo. Os jogadores precisam trabalhar em conjunto para avançar na trama e resolver problemas, não bater uns nos outros até a linha de chegada”. 

Algumas Impressões 
           
       Eu sempre gostei de coisas que podem ser consideradas “de nerd”, o que automaticamente me colocava no grupo dos excluídos / estranhos / socialmente não aceitos no colégio. Some isso ao fato de eu ser menina e dos garotos não aceitarem muito bem a minha “invasão” do espaço deles, por curtir quadrinhos, games e também RPG (e cá entre nós, muitos, mas muitos mesmo, ainda não aceitam e se tornam os famosos trolls). D&D foi o meu primeiro contato com os role-playing games, mesmo que eu nunca o tenha jogado. Desde então eu fiquei encantada com a possibilidade de interpretar diferentes personagens através das sessões, viver as aventuras e completar as missões (confesso que atualmente, por conta do fim da faculdade e mil outras coisas eu não tenho jogado, mas participo de um grupo de meninas RPGistas, aquelas lindas). Dungeons &Dragons é um RPG de fantasia medieval lançado pela primeira vez em 1974, nos Estados Unidos. Criado (originalmente) por Gary Gygax e Dave Arneson, teve como inspiração principal os wargames de miniaturas, e sua publicação é considerada como a origem dos RPGs modernos.


“Eu não sou um mago, mas interpreto um nas noites de terça-feira. Sendo muito nerd – confie em mim, não existe outra maneira de dizer isso -, sou um clérigo Leal e Neutro que conjura feitiços divinos de nível 12. No mundo de Dungeons & Dragons isso me torna um sujeito bem durão”. 

       Atualmente publicado pela Wizards of the Coast (a mesma que publica meu amado Magic The Gathering), foi lançado no Brasil pela Grow, e, no jogo, os jogadores criam personagens que embarcam em várias aventuras, enfrentando monstros, reunindo tesouros, interagindo entre si (é um jogo de cooperação amiguinhos) e ganhando pontos de experiência, o que os torna mais poderosos à medida que o jogo avança. Durante a partida, os jogadores são direcionados pelo chamado Mestre de Jogo, que atua como juiz e também narrador, além de ser responsável por manter o cenário do jogo e aplicar as regras de acordo com a situação. Em Dados e Homens o autor, David M. Ewalt, nos introduz neste mundo fantástico criado através da atmosfera dos jogos  como Dungeons & Dragons, contando a história do jogo desde sua origem e através dos anos, desmistificando constatações acerca dos RPGs e seus jogadores (sabe aquela história de que as sessões são, na verdade, rituais macabros com intenções sinistras? É disso que estamos falando), além de servir como uma troca de experiências entre os fãs do jogo e despertar o interesse de novos jogadores em potencial. E aí, vamos jogar? Reúna seu grupo, pegue seu tabuleiro, escolha um personagem e, claro, role os dados! A aventura, tanto do jogo quanto das páginas deste título, está apenas à sua espera para começar!

Sobre o Grupo Editorial Record

Uma empresa 100% nacional: o maior conglomerado editorial da América Latina fala português. Com onze perfis diferenciados — Record, Bertrand Brasil, José Olympio, Civilização Brasileira, Rosa dos Tempos, Nova Era, Difel, BestSeller, Edições BestBolso, Galera e Galerinha — o objetivo é sempre trazer o que há de melhor para o leitor brasileiro.


5 comentários:

  1. Oi Le!

    Recentemente eu li Wolf in White Van, por se tratar de RPG. Tinha ficado bem curiosa, mas acabei me decepcionando bastante com o livro, devido a não focar tanto nos jogos. Esse livro me parece ser exatamente o que eu estava procurando. Adorei a sua resenha. Espero poder conferir, haha, entrou na listinha de desejados. <3

    Bjs =) ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Anne!
      Eu quase pedi esse livro! Também fiquei bem curiosa com a temática mas na última hora eu desisti. Não sei porque, pois não tinha lido nenhuma resenha. Que pena que você não curtiu :/ Mas sobre esse, ele é completamente sobre RPG KKKKK Obrigada <3 Um beijo : *

      Excluir
  2. Oi Lê! Parabéns pela formatura, tô aqui acompanhando suas fotos! Sucesso garota!

    Nunca joguei RPG, mas tive um namorado que jogava muito, era mestre e tal. O que eu mais gostava era de folhear os livros, perceber as gravuras, achava tudo tão lindo e artístico. Lembro com clareza de alguns detalhes de D&D e Vampiro: A Máscara.

    Adorei a resenha, me trouxe muita nostalgia! Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Grazy!!! Muito, mas muito obrigada <3 Os livros realmente são lindos! Eu tenho um amigo que tem os de O Senhor dos Anéis e eles são um dos meus sonhos de consumo, porque são simplesmente maravilhosos! Obrigada <3 Um beijo : *

      Excluir
    2. Vou aqui procurar esse do Senhor dos Anéis só para babar, hahahahaha. ♥

      Excluir