segunda-feira, 16 de maio de 2016

Dá o Play: Halsey


      O assunto da postagem é completamente outro, mas antes tenho que falar sobre a bagunça nada periódica que está a frequência de postagens aqui do Fleur. Acontece que estou nas semanas finais para a entrega do trabalho de conclusão de curso, e como também estou trabalhando o tempo anda bem curto. Digamos que estou surtando, e que só vou conseguir ser normal (na medida do possível) de novo quando esta monografia finalmente for concluída, no fim deste mês. Mas enfim, desde que inaugurei esta categoria de música aqui no blog, venho falando sobre as descobertas maravilhosas que faço através das playlists aleatórias do youtube, e também de trilhas sonoras de filmes e séries. E a minha mais recente descoberta foi em março deste ano, quando, através das indicações do migo youtube, conheci a menina de cabelos coloridos e voz profunda que vêm fazendo cada vez mais sucesso desde 2014, quando lançou seu primeiro EP: Halsey. O EP “Room 93” tinha cinco músicas, sendo “Is There Somewhere”, “Ghost”, “Empty Gold”, “Trouble” e “Hurricane”, com um refrão poderoso sobre ser dona de si.


        Natural de New Jersey, Ashley Frangipane tem apenas 20 anos (a minha idade), e, ainda no início da carreira, em 2012, quando postava covers no youtube, adotou o nome artístico Halsey, tanto por ser um anagrama de seu nome real quanto por ser uma rua do Brooklyn, bairro onde ela passou a maior parte da adolescência e onde, segundo a cantora, começou a desenvolver sua personalidade musical. Dois anos depois, após começar a disponibilizar suas canções autorais no SoundCloud, a garota passou a fazer contatos reais com o mercado da música, e, após receber propostas de várias gravadoras, ela fechou contrato com a Astralwerks, através da qual, em outubro de 2014, lançou o EP “Room 93”. Seu primeiro álbum, “Badlands”, saiu em 2015, e, enquanto trabalhava na produção, a cantora ganhou espaço através da divulgação dos singles de “Room 93” (principalmente “Hurricane”) e também de sua participação como atração de abertura em shows de bandas já consagradas, como Imagine Dragons.


       Fugindo dos padrões da música comercial, as canções de Halsey têm uma sonoridade original e totalmente própria, com composições peculiares e que chamam a atenção, variando da melancolia indie às batidas eletrônicas, apesar de, atualmente, serem consideradas parte do hall da música pop. Dona de um timbre de voz incrível, um visual marcante e totalmente livre de padrões, a cantora também têm chamado a atenção pela forma como expressa sua opinião abertamente sobre os mais diversos assuntos, como representatividade, sexo, relacionamento, batalhas internas, entre outros, de uma forma irreverente e de uma perspectiva totalmente diferente da comumente expressa por outras cantoras, fato que influencia diretamente suas composições. Nas letras de Halsey, a mulher não é um objeto usado apenas para agradar e satisfazer as necessidades do parceiro, mas um ser humano que faz o que gosta e porque gosta, com poder sobre o próprio corpo, por exemplo.


"Eu tô cansada de ouvir "se cubra", "não fale sobre seu corpo" como se nascer mulher fosse uma vida de vergonha e culpa por causa do seu gênero".


           Representatividade inclusive é um tema recorrente tratado pela cantora, seja em entrevistas ou através de suas redes sociais. Filha de pai afro-americano e mãe ítalo-americana, ela frequentemente aproveita seu espaço na mídia para levantar a questão da segregação racial no continente norte-americano, e reafirmar com orgulho sua condição miscigenada. Outro tema muito comentado pela cantora é a questão da sexualidade, uma vez que ela se declara bissexual. Um exemplo interessante é a música "Ghost", que possui duas versões de clipe: uma em que a cantora tem um relacionamento com um homem (versão do EP "Room 93"), e a mais recente, onde ela se relaciona com uma mulher. Em uma sociedade onde o preconceito com a sexualidade do outro é tão disseminado, ter alguém como Halsey levantando esta bandeira é, no mínimo, inspirador, e, também, um sinal de empoderamento.




         O álbum de estreia da cantora, “Badlands” é um trabalho considerado conceitual, por conta da cidade homônima inventada pela própria cantora. A história construída durante as dezesseis faixas do CD (na versão Deluxe. A comum possui quatorze faixas), se passa em uma sociedade pós-apocalíptica, e, segundo a cantora, à medida que o trabalho foi sendo finalizado, era possível perceber que o álbum funcionava como uma metáfora para o que ela estava vivendo enquanto escrevia. Simplesmente maravilhoso, “Badlands” consegue transportar o ouvinte para o peculiar mundo de Halsey, onde ele faz um tour pelas mais variadas experiências pelas quais ela passou, desde relacionamentos amorosos repletos de decepções até as crises existenciais, mas também por momentos felizes vividos por ela. E para quem ainda não conhece o debut da cantora, é possível ouvir todo o álbum de estreia da cantora em seu canal VEVO no youtube (clique aqui para acessar). E vou te falar, vale muito a pena! E aí, já conhecia a Halsey? Tem alguma música, cantor ou banda para indicar? Conta aí nos comentários! 

14 comentários:

  1. Acho a Halsey linda, as músicas super moderninhas, gosto muito *u* nunca ia imaginar que ela tem a minha idade! Parecia que ela era mais velha, ou eu que pareço mais nova .-.

    Peixinhos, Gabbe!
    Blog: Talo de Maçã |Fanpage |Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Eu gosto principalmente dos ritmos dentro das músicas dela, da melodia. E as letras sobre liberdade me conquistam também. E eu imaginava que ela era bem mais velha, e também fiquei surpresa com o fato dela ter a minha idade KKKKKK Um beijo : *

      Excluir
  2. Amei, já estou correndo para conferir! Nem preciso falar que só o estilo dela ja me conquistou, espero amar as musicas também!
    Hurricane Stars

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Miga sua louca, corre pra ouvir o CD todo urgentemente <3 <3 <3 As músicas são muito boas, e se você curtiu o estilo irreverente dela vai amar as letras, porque um reflete no outro <3 Um beijo : *

      Excluir
  3. A Halsey é maravilhosa!
    Eu conheci ela no ano passado e desde então tenho acompanhado a carreira da cantora. Queria ter a visto no lolla, mas uma pena que não pude ir. Adorei as escolhas das fotos Le!

    beijo! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo! Eu conheci ela no início desse ano e adorei as músicas e o estilo dela <3 Eu também queria! Mas né, espero que ela volte aqui no Brasil mais vezes! Um beijo :*

      Excluir
  4. Gente, que voz deliciosa de ouvir <3 <3 <3. Não conhecia a Halsey, mas virei a stalker do youtube, hahahahahahaha.

    Poxa, achei super bacana essa ideia do clipe nas duas versões do relacionamento. É a primeira vez que vejo algo do tipo, amei a iniciativa dela!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Né????? Eu conheci no início do ano e me encantei com a voz dela <3 KKKKKK Sobre ser stalker eu te entendo kkkkkk Também não me lembro de outro artista que tenha feito dois clipes com versões diferentes do relacionamento, e a ideia é realmente genial <3 Um beijo : *

      Excluir
  5. Respostas
    1. Pois é, eu achei ela por um acaso KKKKKK Mas queria que alguém tivesse me indicado antes, porque não consigo parar de ouvir! Um beijo : *

      Excluir
  6. Le, respira e não surta <3 hahahah
    Sou apaixonada pelo trabalho dela e acho ela maravilhosa <3

    Follow Cíntia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tô surtando já! Acho que já era a ideia de manter a calma KKKKKK Já tentei de tudo, mas minha cabeça só pensa no TCC e no prazo (dez dias e contando). Tô maluca! Sobre a Halsey = só amor <3 <3 Um beijo : *

      Excluir
  7. Já conhecia a Halsey e adoro as músicas dela! Viciei em Colors e ouvi até não aguentar mais, agora estou dando uma folga e ouvindo outras faixas do Badlands, haha. Ótimo post, e boa sorte com o TCC!

    Vestindo o Tédio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Sei bem como se sente kkkkk também fiquei viciada em Colors até que descobri Castle e New Americana KKKKK Um beijo <3

      Excluir