segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Sessão Pipoca: Snoopy e Charlie Brown - Peanuts, O Filme + Sobre Schulz


       As férias de inverno chegaram, e como isso significa nada de aulas, todas as crianças estão ansiosas para brincar nas ruas. Mas a vida do atrapalhado garotinho Charlie Brown e de sua turma sofre uma mudança repentina, com a chegada na vizinhança de uma garotinha de cabelos vermelhos. Charlie logo se encanta por ela, afinal, não é sempre que se tem a chance de começar do zero, com alguém que não sabe dos seus fracassos anteriores. Mas para falar com a menininha ruiva, ele tem de lutar contra sua timidez e a baixa auto-estima. Para isso, conta com a ajuda do melhor amigo do homem: seu cachorro um tanto peculiar chamado Snoopy. Ao mesmo tempo, Snoopy encontra uma máquina de escrever, e começa a imaginar uma história heróica, cheia de emoção e aventura, sobre o resgate de seu grande amor, a cachorrinha Fifi. 

Título: Snoopy e Charlie Brown - Peanuts, O Filme.
Duração: 1 hora e 28 minutos.
Direção: Steve Martino.
Gênero: Animação, Família, Aventura.
Lançamento: 14 de janeiro de 2016.


Sobre Peanuts e Schulz

    Nascido em novembro de 1922, Charles Monroe Schulz foi um cartunista americano, reconhecido mundialmente como o criador da famosa série Peanuts, com o garotinho Charlie Brown e seu cachorro da raça beagle chamado Snoopy. Durante a adolescência, ele e o pai liam juntos os quadrinhos dos jornais todos os domingos de manhã, e o ritual incentivou o garoto a buscar o sonho de tornar-se cartunista. Seus desenhos foram publicados pela primeira vez em 1937, por Robert Ripley, no Ripley’s Believe it or Not! Na Segunda Guerra Mundial, Schulz teve de deixar a arte de lado para servir ao exército, mas não deixou de desenhar esboços sobre o dia a dia militar. Entre os anos de 1947 e 1949, publicou seu primeiro trabalho produzido periodicamente, a tira cômica Li’l Folks no St. Paul Pioneer Press. Uma curiosidade é que o nome Charlie Brown foi usado pela primeira vez pelo autor nesta tira, porém não era o mesmo personagem que viria a se tornar conhecido. 

       Criou Charlie Brown, Snoopy e toda sua turma no ano de 1950, e é considerado um dos cartunistas mais bem sucedidos da história. Depois de muitas negativas, finalmente realizou o sonho de ter publicada uma tira nacional diária quando sua nova criação, Peanuts, estreou em sete jornais e alcançou sucesso internacional ainda em 1950. Em seu auge, a tirinha foi publicada em 75 países, traduzida para 21 idiomas diferentes. Até sua morte, em 2000, desenhou todas as tirinhas, especiais e filmes, somando cinquenta anos dedicados aos personagens, e, no total, o autor produziu 17.897 tiras sobre eles. Schulz costumava afirmar que não via outras pessoas dando continuidade ao seu trabalho, uma vez que, como criador, era a essência de sua criação. E, no que diz respeito às tirinhas, nenhum material novo foi publicado nos últimos quinze anos, desde a morte do cartunista. A última tira original do autor foi publicada um dia depois de sua morte, onde se despedia dos fãs e dos personagens que criou. Atualmente, muitos jornais republicam algumas das tiras clássicas, a maioria ainda em preto e branco, mas não há ninguém escrevendo histórias inéditas sobre o garotinho Charlie Brown e seu simpático cachorro Snoopy.


        Acredita-se que seus personagens fizeram tanto sucesso porque retratavam a vida cotidiana do autor, e cada um escondia uma mensagem em si. De acordo com a biografia “Peanuts and Schulz: A biography”, as tiras de Snoopy são como uma autobiografia de Schulz, e os personagens são inspirados em pessoas do cotidiano do cartunista. Lucy van Pelt seria inspirada na primeira mulher de Schulz; Patty Pimentinha, em uma prima dele; a Menininha Ruiva em uma paixão que recusou sua proposta de casamento, em 1950; e Charlie Brown seria o próprio autor durante a infância. Além disso, alguns acontecimentos são claras referências a fatos de sua vida. Em 1996, ganhou uma estrela na Calçada da Fama, em Hollywood, e quando o cartunista anunciou seu afastamento, em 1999, Peanuts era publicada em mais de 2, 6 mil jornais ao redor do mundo. Em sua homenagem, foi inaugurado o The Charles M. Schulz Museum and Reserch Center, em 2002, na Califórnia.


Algumas Impressões

      O fato é que, por seis anos após sua morte, a família de Schulz foi procurada, na tentativa de levar os personagens de volta para as telonas, e eles sempre disseram um sonoro não. Mas, em 2007, Craig Schulz decidiu que a hora de revisitar a obra do pai havia chegado e, com a ajuda do filho, Bryan Schulz (neto de Charles), começou a desenvolver um roteiro. Depois de quase oito anos de negociações e produção, finalmente foi lançado neste mês de janeiro, pela FOX Filmes, o novo longa envolvendo Snoopy, Charlie Brown, Woodstock, e os demais personagens de Peanuts. Gosto das tirinhas faz tempo, e, à medida que os anos foram passando, comecei a perceber as mensagens sempre intrínsecas nas histórias, o que só aumentou o meu interesse e envolvimento com elas. Para mim, Schulz é o maior cartunista da história, seguido de perto pelo criador da icônica Mafalda, o argentino Quino, e pelo meu querido Maurício de Souza. Acredito que os três foram minhas primeiras – e maiores – referências no que diz respeito a quadrinhos, e guardo cada uma de suas histórias em um espaço especial, tanto na memória quanto no coração (sentimental, eu sei). E, depois de tantos anos sem materiais novos sobre a obra de Schulz, não pude deixar de ver “Snoopy e Charlie Brown – Peanuts, o Filme” assim que chegou aos cinemas.



       Na trama, o atrapalhado, tímido - e um tanto depressivo - Charlie Brown e sua turma estão animados com a chegada das férias de inverno quando são surpreendidos pela chegada de uma nova criança à cidade, uma garotinha de cabelos vermelhos (a famosa “Menininha Ruiva”). Como não é todo dia que se tem a chance de começar de novo e interagir com alguém que não sabe de seus fracassos (como nunca conseguir empinar uma pipa ou chutar a bola de futebol, por exemplo), “Minduim” - como Patty Pimentinha o chama - logo se encanta pela recém chegada, mas, ao mesmo tempo, sofre pela falta de coragem e por não acreditar que é bom o suficiente para estar ao seu lado. E, ao mesmo tempo em que tenta ajudar seu melhor amigo, Snoopy escreve uma história em que, voando em sua casinha como se esta fosse um avião, tem de usar toda a coragem e determinação que possuí para resgatar sua amada Fifi das garras de um misterioso inimigo. Depois de quase noventa minutos de duração, cheguei à conclusão de que o longa dirigido por Steve Martino (Horton e o Mundo dos Quem e A Era do Gelo 4), é acima de tudo saudosista. Divertido, tem a capacidade de encantar expectadores de todas as idades (até porque - que me desculpe o Bidu - mas não existe cachorro mais carismático do que o Snoopy), mas é principalmente voltado para os fãs da obra, mesmo sem toda a complexidade no estudo da vida infantil e sem tantas mensagens intrínsecas, daquelas que sempre nos levam à reflexão ao ler as tirinhas dos personagens. Se você já gosta ou se quer conhecer a turma de Peanuts, sugiro que corra até o cinema mais próximo, pegue a pipoca e o refrigerante e prepare-se para se emocionar com a criação de Schulz. 

34 comentários:

  1. Vou assistir esse filme jájá e estou muito ansiosa. Durmo com um Snoppy de pelúcia tem anos e amo as tirinhas since ever (desde que comecei a ler, vai HSUIHUISH)
    | Sorteio do livro: "Como ter uma vida normal sendo louca" |
    | FB Page A Bela, não a Fera|

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é muito fofo! <3 E lendo este comentário me deu uma vontade louca de roubar esse seu lindo Snoopy de pelúcia, porque eu também adoro ele <3 KKKKKK Um beijo : *

      Excluir
  2. Estou super ansiosa para ver esse filme, gosto muito das tirinhas, dos personagens e suas peculiaridades. Tenho certeza que será uma obra muito saudosista mesmo! Espero conseguir ir nesse próximo final de semana <3
    Colorindo Nuvens

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também estava! Tanto que fui assistir logo no dia seguinte à estreia. Eu não consegui me conter, e antes mesmo do filme já tinha quase toda a coleção de toys do Mc Donald's, pelo menos os que o Snoopy está presente! E sim, ele é bem saudosista, e fofo também. Eu diria que é basicamente um tributo ao Schulz. Espero que consiga ir logo e que goste! <3 Um beijo : *

      Excluir
  3. Ownn, vontade de abraçar todos os personagens!
    Sempre gostei das tirinhas do Charlie Brown, vou tentar tirar um tempo e ir ver esse filme. :3

    http://rumoahollywood.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! <3 Eu fiquei com essa vontade o filme todo, e depois que eu saí do cinema mais ainda. Então corri para comprar o que eu podia alcançar: os toys do Mc Donald's KKKKK Vê sim, vai gostar! Um beijo : *

      Excluir
  4. Sou encantada por esse desenho, apenas ♥ Desde pequena acompanho e morro de amores pelos dois. Tenho certeza de que o filme é uma fofura e que deve ser realmente muito bom. Gostei bastante da resenha moça, me animou para ver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Snoopy é amor <3 Também acompanho faz tempo, e tem aquele gostinho de infância né? Da época em que as coisas mais importantes eram ver desenhos KKKKK Saudades! E sim, ele é uma fofura enorme <3 Obrigada! Um beijo e espero que assista logo : *

      Excluir
  5. Eu sou apaixonado com Charlie Brown, tanto que quando ganhei meu primeiro cachorrinho com 4 anos de idade, batizei com o nome Snoopy. Até pouco tempo eu ainda carregava a foto dele na carteira. As histórias sempre me marcavam, principalmente pela minha imediata identificação com o protagonista, um loser romântico igual a mim. Os trailers me deixaram muito animado, porque carregavam muito daquele espírito que os quadrinhos carregavam: uma deprê cheia de ternura. Sem dúvida vou ver o filme. Pra falar a verdade, nem sei porque não vi até agora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que muitas crianças já tiveram um Snoopy na vida né. Eu me lembro de querer batizar um cachorrinho que tínhamos com este nome, mas era fêmea e minha mãe não deixou. Foi triste. De qualquer forma, também gosto muito das particularidades dos personagens e das mensagens intrínsecas nas tiras. Fora que o Charlie é bem depressivo mesmo e fofíssimo. Também não sei porque você não está na porta do cinema neste momento para assistir ao filme! Corre lá! Um beijo : *

      Excluir
  6. Você APENAS fez a minha curiosidade EXPLODIR!Quero muito levar meus primos pequenos para ver e não sabia que as tirinhas carregam tantas reflexões, vou correr para catar algumas por aqui. Adorei a postagem!

    SEMQUASES.COM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom! Espero que corra para o cinema mais próximos e assista logo essa coisa fofa que é o filme <3 E sim, as tirinhas do Schulz são conhecidas por essa carga de reflexão que carregam, como as da Mafalda. E são ótimas! Obrigada <3 Um beijo : *

      Excluir
  7. Nossa, que post maravilhoso e bem escrito, estou apaixonada! Assisti o filme esse final de semana e nossa... Não dou conta da fofura que foi esse filme, nem da minha felicidade depois de assisti-lo. ♡ Um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! <3 É muito bom ler um comentário como o seu <3 E sobre o filme, eu também não aguento toda essa fofura! Ele é lindo e, por mais que seja uma história simples, encanta. Um beijo : *

      Excluir
  8. Esse filme está muito fofinho!
    EU estou lendo a biografia... e é bem isso que o cara sugere... que as suas tirinhas são biográficas, com ela você consegue entender a vida toda do autor, estou no início mas já deu pra ver que eu vou me emocionar! Esse post ficou lindo!

    Bjinhos
    JuJu
    As Besteiras Que Me Contam

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sim! Eu quero ler essa biografia, e também comprar alguns livros que reúnem as tirinhas clássicas. Tem edições maravilhosas publicadas por aqui! Obrigada <3 Um beijo : *

      Excluir
  9. Acredito que vou gostar muito :)
    Entendo bem a família ter se negado a fazer algo novo por tanto tempo, deve ser meio doloroso. Mas, já que nos deram essa oportunidade, estou mesmo na expectativa de que seja muito bom!

    yellowevershine.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que vai gostar sim! Pois é, deve ter sido muito doloroso pra eles, pois o Schulz ainda é muito vivo na memória das pessoas, imagina na da família né. Mas fico feliz que eles resolveram criar essa oportunidade e que podemos ver mais coisas de Peanuts por ai, depois de tanto tempo. Um beijo : *

      Excluir
  10. Ainda não assisti, socorro rsrsr

    ResponderExcluir
  11. Quero tanto assistir esse filme, parece uma graça. E realmente, Schulz, Quino e nosso querido Mauricio de Souza são para mim os melhores cartunistas.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assiste sim, acredito que vai gostar! E os três são eternos pra mim sabe. Os melhores, as referências e os personagens são alguns amores da minha vida <3 Um beijo : *

      Excluir
  12. oi ~^
    eu sou completamente apaixonada pelo snoopy.
    gosto do humor e da pegada que as coisas vão seguindo, realmente me tocam.
    eu fiquei doida pra ver o filme - e ainda estou - porém, ainda não tive a oportunidade, mas em breve vou assistir.
    pelo que vc citou, tenho certeza que vou adorar. Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei ^~^ Ele é uma das coisas mais fofas do mundo KKKKK E sim, é legal acompanhar as histórias, perceber as mensagens. Eu geralmente fico viajando! Acho que vai gostar sim! Um beijo <3

      Excluir
  13. Eu não vejo a hora de assistir snoopy e se tudo de certo vou amanhã. Acho que vai ser bem nostálgico assistir esse desenho que me acompanha desde que eu era criança. Vai ser divertido acompanhar essa turminha e entender ainda melhor, haha.

    Beijos!
    http://www.prateleiracolorida.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ha que bom! Espero que goste! Pra mim pelo menos foi bem nostálgico mesmo, e saudosista. É meio que uma "obra tributo" ao Schulz sabe, pelo menos eu senti isso, já que é uma produção do filho e do neto dele. Um beijo : *

      Excluir
  14. Caraca. Ta óbvio que você pesquisou demais para escrever esse post e to super admirada. A vida dele foi mesmo muito bonita, 50 anos dedicados a mais de 17 mil tirinhas não é pouco não. Eu leio algumas pelos facebooks da vida e as mensagens nas entrelinhas são mesmo fantásticas.
    Quando sair no netflix talvez eu assista, embora não goste muito de obras assim nas mãos de outras pessoas que não seu criador, mas quem sabe não me surpreendo, sim?
    Adorei a postagem e a resenha! Mil beijos

    Com carinho, Beca; Café de Beira de Estrada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu pesquisei mesmo viu KKKKK Por mais que eu soubesse de algumas coisas sobre o Schulz, quis trazer mais informações, fatos que pudessem levar quem ainda não conhece a conhecer o trabalho e também um pouco da vida dele, já que as duas coisas se misturam. E sim, as mensagens são muito bacanas, porque ele aborda grandes dilemas da vida através da visão de crianças, o que é incrível. Olha, eu também não costumo ser muito fã de obras que não sejam do próprio autor, mas é do filho e do neto dele, então tá tudo em família KKKK Obrigada <3 Um beijo : *

      Excluir
  15. To querendo muito assistir! Pena que não vai rolar cinema :/ Eu conheci Peanuts na casa da minha avó, bem nova, por causa de uns livros que tinham lá.
    Acredito que o Charles tenha contribuído pra vida de muita gente ficar um pouquinho mais feliz com suas tirinhas.

    Zona de Conspiração | Fanpage

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, ele contribuiu muito para a vida das pessoas, não só com felicidade, mas principalmente reflexão sabe. Eu pelo menos penso assim, pois ele tratou de assuntos complexos através de crianças <3 Assiste sim! Daqui a pouco sai em DVD :D Um beijo : *

      Excluir
  16. Eu assisti e amei <3 honestamento eu não estava muito animada, mas o final é tão gracinha que me fez chorar. Vale a pena assistir!

    rasgadojeans.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um amor sem fim <3 A história é bem simples mesmo, dilemas infantis do Charlie Brown, mas eu vi o filme não como uma simples animação, mas como um tributo, e quase chorei no final também! KKKK Que bom que gostou! Um beijo : *

      Excluir
  17. Eu estou looooouca pra assistir essa animação. Eu amo o Mindium <3 <3 <3 <3 <3 e quando eu era criança, meu apelido era Patty Pimentinha, hahahahahahahahha.

    Os quadrinhos têm mensagens incríveis. Cada vez que leio, fico mais e mais apaixonada. São lições de vida mesmo, que nos fazem refletir bastante. Não tem como não amar <3.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minduim <3 <3 Sério? KKKKKK Que legal! Ela é ótima, mas eu gosto bastante da melhor amiga dela e da Sally. As mensagens dos quadrinhos são incríveis, eu também adoro <3 Um beijo : *

      Excluir